Search Results For : História

25/02/1987: aniversário da maior final de campeonato da minha vida!

Vinte e cinco de fevereiro: essa data nunca passará batida para mim. Foi o dia e o mês da maior final que eu presenciei na minha história no futebol. Foi no dia 25/02/1987 que o São paulo conquistou, de forma absolutamente emocionante, o seu segundo Campeonato Brasileiro. O campeonato de 1986!

 

A final no Brinco de Ouro da Princesa praticamente redimiu, no talento dos pouco mais de vinte e dois jogadores em campo, o desastre de organização que foi o torneio, que começou em 1986 e terminou no ano seguinte e contou com oitenta clubes, 680 jogos e a consagração de Antônio de Oliveira Filho, o Careca.

 

A final, que terminou 3×3 na prorrogação e foi definida nos pênaltis, está divulgada a torto e a direito na internet. Queria compartilhar algo absolutamente particular: foi a minha primeira final presente num estádio que não fosse o Morumbi. Com 14 anos na época, viajei com meu pai para Campinas na expectativa de ser campeão. Depois de um primeiro tempo eletrizante, a prorrogação reservou momentos de alta tensão, com o Guarani em vantagem (2×1) até o último minuto do segundo tempo. Desesperançoso e ouvindo o hino do Bugre ecoando nos auto-falantes, meu pai me deixou perto do túnel de saída das arquibancadas visitantes e foi ao banheiro para, logo em seguida, voltarmos para São Paulo antes do apito final.

 

O gol antológico de Careca aos 14 minutos do segundo tempo o fez sair do banheiro desesperado e de calças arriadas comemorar comigo e os tricolores das arquibancadas aquilo que seria, após outra disputa dramática nos pênaltis, o segundo título brasileiro de sua história.

 

De todos os títulos que estive presente, e não foram poucos, esse para mim foi e sempre será o mais especial. Foi lá em Campinas, e diante de uma equipe fortíssima como a do Guarani daquele ano, que percebi o que ser são-paulino é mais que torcer para um clube de futebol. É levar a fé no coração até o último segundo. Sempre!

 

Agradeço a Deus e meu falecido pai por estar em Campinas naquele momento.

 

Obrigado por me fazerem são-paulino!

 

São Paulo 3×3 Guarani (final de 1986) no Blog Imortais do Futebol.

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

KingNaldo levará 50 parentes para assistir CSA x São Paulo em Maceió!

Não deve ter jogador mais ansioso para o jogo desta próxima quinta-feira que o lateral esquerdo Reinaldo. Natural do Alagoas, o “King” simplesmente levará cinquenta parentes para apoiar o São Paulo no Estádio Rei Pelé, em Maceió. O Tricolor jogará sua sorte na Copa do Brasil diante do CSA.

 

Reinaldo nasceu em Porto Calvo (AL), cidade com cerca de 150 quilômetros de distância da capital alagoana. A grande maioria de seus familiares nunca o viu jogar profissionalmente, por este motivo o lateral solicitou ao Tricolor a grande quantidade de ingressos. Vale lembrar que os diretores recebem uma cota de ingressos cortesia em todos os jogos fora de casa.

 

O jogo é fundamental para as pretensões do clube na Copa do Brasil. Não pode bobear com o regulamento e o goleiro adversário, que pegou um pênalti decisivo na primeira fase da competição. Leia a preleção aqui.

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Puma “imita Penalty” e lança camisa 100% vermelha para o Independiente

O Independiente, campeão da última Copa Sul-Americana, jogará a Recopa contra o Grêmio com uma camisa totalmente diferente dos seus padrões. Os “diabos vermelhos” atuarão com uma camisa completamente vermelha, inclusive com os patrocinadores do clube em vermelho. A Puma, fornecedora do clube argentino, é responsável pela criação e confecção das apenas 3 mil unidades que serão postas à venda para os hinchas argentinos.

 

A ideia é boa mas não é inédita: em abril de 2013 o São Paulo e a Penalty lançaram em conjunto uma camisa comemorativa do Tricolor toda vermelha, muito semelhante ao conceito adotado pela Puma/Independiente neste modelo. A camisa Tricolor provocou polêmica na época, mas teve boas vendas e elogios de atletas como Rogério Ceni, capitão da equipe naquele ano. Segundo o Estado de São Paulo, em cerca de 25 mil unidades produzidas pela Penalty foram negociadas em poucas horas após o lançamento e divulgação do produto em um jogo daquela temporada.

 

Veja matéria do Diário Olé com detalhes do uniforme do Independiente.

 

O conceito do uniforme 100% vermelho são-paulino foi em homenagem ao estádio do Morumbi, que teve todas as cadeiras mudadas para a cor vermelha naquele ano. O vermelho também foi escolhido por se relacionar com a raça da equipe nos gramados. Vale lembrar que 2013 também foi um dos piores anos do clube dentro de campo, com perigo real de rebaixamento.

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Regulamento e goleiro: o São Paulo não pode sequer empatar com o CSA!

O São Paulo se reapresentará para os treinos na tarde desta segunda-feira. A semana importante inclui as preparações para o jogo decisivo diante do CSA em Alagoas e também para o clássico diante do Santos no estádio do Morumbi, no domingo.

 

A Copa do Brasil, competição de grau importantíssimo para o São Paulo, inspira cuidados especiais por conta do regulamento e o goleiro adversário. Nesta segunda fase, também com um jogo único, não há favorecido pelo empate. A igualdade no placar levará o Tricolor e o CSA para uma dramática disputa de pênaltis.

 

Não dá para bobear: é importante lembrar que o grande destaque do primeiro jogo do CSA na Copa do Brasil foi justamente o seu goleiro. Mota, 31 anos, pegou um pênalti no último minuto diante do Manaus/AM e garantiu a equipe alagoana na segunda fase da Copa do Brasil no empate de 2×2 em na Arena Amazônica, em Manaus. O goleiro foi provocado durante o jogo todo pela torcida adversária e deu o troco no final da partida. “Tenho certeza que eles (os torcedores do Manaus) não irão se esquecer de mim”. – Disse ele em entrevista ao Globoesporte.com.

 

Além do perigo nas traves, o CSA vem embalado pelo título inédito da série C, em 2017. A equipe alagoana venceu o Fortaleza na grande final e também garantiu o acesso a série B do Brasileirão deste ano. O CSA perdeu apenas uma das seis partidas que fez em 2018.

 

São Paulo e CSA já se enfrentaram pela Copa do Brasil, em 2014. Na ocasião, as equipes jogaram duas partidas pela primeira fase e o Tricolor venceu lá (1×0) e no Morumbi (3×0). Foi a estréia de Pato com a camisa Tricolor, num time que tinha Rogério Ceni, Luis Fabiano e PH Ganso em seu plantel. Desta vez a situação é muito diferente e não permitirá erro algum dos jogadores.

 

O jogo será realizado no estádio Rei Pelé e os ingressos para a torcida do São Paulo variam entre R$ 30,00 (meia entrada) e R$ 60,00 (inteira). Eles estão disponíveis à venda no site Guichê Web.

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Valdívia: “Não vejo a hora de estrear com a camisa do São Paulo!”

O atacante Valdívia foi apresentado no CT da Barra Funda. Raí o classificou como jogador jovem de muito potencial e que o clube tem histórico em recuperar jogadores. Brincalhão e Tricolor na infância, o jogador comentou sua situação atual e diz que não vê a hora de estrear com a camisa do São Paulo.

 

O novo contratado disse que se destacou jogando pela beirada do campo pelo Internacional de Diego Aguirre na Libertadores, mas também pode jogar no meio se estiver bem condicionado. O jogador afirmou que está recuperado da grave lesão no joelho esquerdo e que cumpriu as funções táticas no Galo mas que os gols não saíram. “Já fui lá em cima, já fui para baixo, hoje estou no meio, pronto para me recuperar e estou num clube gigante como o São Paulo. Tenho qualidade, tranquilidade e a confiança da diretoria.” – disse ele.

 

Por falar em diretoria, Valdívia disse uma coisa muito importante na coletiva. Ele comentou a importância de ter uma diretoria que tenha jogado bola profissionalmente. “É mais fácil de lidar mas também sabemos que seremos mais cobrados dentro de campo” – disse ele. “Vou brigar pelo meu espaço e ajudar muito o clube. Não penso lá na frente. penso a cada partida. No final do ano que pensarei a longo prazo. É dar meu melhor que as coisas vão aparecer” – completou.

 

Uma coisa que me deixou contente foi a forma como o jogador falou da sua condição atual, inclusive contestando alguns jornalistas. Valdívia disse que fez um bom período no Galo, está bem fisicamente mas que os gols não saíram em BH, por isso foi bastante cobrado, até em comparação com seu auge no Inter. Teve personalidade em lidar com as perguntas sobre seu estado físico.

 

Boa sorte, Valdívia. Que você seja muito feliz no Tricolor. Precisamos!

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.