Search Results For : História

Os iminentes perigos do novo regulamento da Copa do Brasil

Nação do Maior do Mundo;

 

São Luís está em festa e fez uma recepção de ouro para o São Paulo Futebol Clube.

 

Não era de se esperar outra coisa. O clube não realiza uma partida oficial no Maranhão desde a goleada sobre o Sampaio Corrêa no dia 20 de janeiro de 1998, em jogo válido pela mesma Copa do Brasil, competição que coloca o Moto Club frente a frente o Tricolor.

 

Naquela época a equipe era dirigida por outro mito, Darío Pereyra, e foi escalada com Rogério Ceni; Edmilson, Márcio Santos, Zé Calos e Marcelinho Paraíba; Fabiano, Capitão, Alexandre Galo e Denilson; Aristizábal e Dodô.

 

O jogo hoje poderia ser bem mais tranquilo não fosse o novo regulamento para as primeiras partidas da competição mais brasileira do país. O São Paulo enfrentará um adversário pronto para o tudo ou nada, um estádio diferente com um gramado mais alto daquilo que está acostumado. Tudo isso em uma partida só! É a primeira vez que jogos “mata” acontecem na Copa do Brasil e a tendência é que um ou mais grandes possam ficar no caminho, mesmo com a vantagem do empate.

 

Todo cuidado é pouco, mas a equipe de Rogério Ceni, apesar da péssima estréia no Paulista, não jogou para perder em Barueri. Tirando o começo avassalador do Audax, que em 10 minutos fez dois gols, o restante do jogo foi equilibrado, com bom domínio de bola Tricolor. Perdemos na eficiência, coisa que não podemos nem pensar em deixar de ter no Castelão.

 

Já estou em São Luis e acompanharei a partida junto com a torcida do Maior do Mundo. Tem que apoiar e acreditar num bom ano… Que seja um belo jogo para a cidade, e que o São Paulo volte para casa sem sustos.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Até breve, Marco Aurélio Cunha!

Nação do Maior do Mundo;

 

O blog havia antecipado no início de dezembro e Marco Aurelio Cunha deixa o São Paulo com a sensação de dever cumprido no cargo de gerente de futebol. “Hoje me despeço do SPFC, aqui na Flórida. Essa etapa da missão está cumprida. Entregar o futebol melhor, em paz, com esperança e com Rogério” – disse ele no Twitter.

 

MAC veio no lugar de Gustavo de Oliveira, demitido no meio do ano, com a missão de pacificar vestiário e acalmar os ânimos no setor. Conseguiu a proeza, ainda mais num período horrível do clube. Comigo sempre foi respeitoso, até nas discussões e opiniões contrárias. Apesar de ter rejeição por parte do conselho (a maior crítica foi ser remunerado mesmo conselheiro), é inegável sua competência no futebol. O doutor trabalha com alma, diferente de muitos outros profissionais de futebol, que possuem a característica mais técnica. Eu aprecio e há quem não aprecie.

 

Fez bem em sair em ano eleitoral. Sem Marco, Leco, Natel e um outro provável candidato da oposição (ainda não oficializado) poderão se enfrentar “em paz” em abril. Por mim, esse adeus é muito mais um “até breve” que qualquer outra coisa. Por mim MAC e Júlio Casares são, ao lado de Vinicius Pinotti, Itagiba Francez (Itagibinha) e Marcelinho Portugal Gouvêa, as futuras lideranças do clube.

 

Situação, oposição… enfim, líderes para um São Paulo rejuvenescido.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Assista o vídeo da apresentação do Tricolor para a Florida Cup 2017

Nação do Maior do Mundo;

Se tem clube que diz que é grande, o que dizer do São Paulo FC, meu amigo?

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Onze anos de TRI Mundial!

Nação do Maior do Mundo;

 

Há onze anos o São Paulo conquistava de forma incontestável o seu terceiro mundial.

 

Em 1992, Raí fez a diferença com dois gols em cima do poderoso Barcelona de Johan Cruyff. Em 1993 Muller foi a cereja do bolo de uma equipe solidária, movida pelo craque Toninho Cerezo. Já em 2005 Mineiro fez o gol derradeiro mas foi Rogério Ceni quem brilhou com defesas milagrosas, eternizadas naquela conquista.

 

Foram mais de quinze mil torcedores do Brasil para o Japão, juntando-se outros quinze mil brasileiros com cidadania japonesa que torcem para o São Paulo devido as conquistas de 1992/1993. Só da Independente/Japão foram vinte ônibus para a final. Vivemos uma aventura completa, coroada por outro caneco dourado.

 

Hoje os tempos são outros. Com a conquista deste domingo o Real Madrid se distancia mais um pouco do Tricolor. São Cinco canecos para os merengues contra quatro para o Milan e três para Barça, Inter de Milão e o Tricolor. Será que com Rogério e uma nova filosofia poderemos tirar o atraso dos mundiais em 2018? Um passo de cada vez.

 

Mas que foi épico em 2005, foi. Obrigado, Maior do Mundo!

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Rogério volta para tentar escrever uma nova página de glórias no clube

Nação do Maior do Mundo;

 

“O São Paulo voltará a ser treinado por um são-paulino”.

 

A frase de Leco, presidente do Tricolor, no breve discurso de apresentação do novo treinador do clube não poderia ser mais feliz. Rogério Ceni foi apresentado como novo treinador do São Paulo nesta quinta-feira em uma mistura de emoção, curiosidade e saudosismo. O ídolo de milhares de torcedores do Tricolor concedeu entrevista coletiva e contou um pouco do que espera de sua nova fase no futebol.

 

Estive presente na coletiva de imprensa desta quinta-feira. Pelo curto tempo para um evento tão singular (a sala de imprensa do clube estava abarrotada de jornalistas, blogueiros e iluminados sócios torcedores do clube), poucas perguntas de fato técnicas foram aproveitadas para o treinador contratado. Normal, Rogério mal terminou os estudos para ser técnico habilitado na Europa para, segundo ele, se guiar pelo coração para atender um chamado do clube que tanto ama.

 

Deu para ver na cara dos sócios torcedores presentes a emoção do retorno. Mas Rogério mantém os pés no chão para aceitar críticas da função e trabalhar muito para colocar suas ideias em práticas, auxiliado por dois gringos de qualidade comprovada na Europa. Ele acredita que com os auxiliares e a comissão técnica fixa do clube, conseguirá compensar a falta de experiência na nova profissão com uma nova visão de trabalho.

 

Sobre sistema tático, Ceni foi direto: só poderá definir quando o clube definir o plantel, mas revelou preferência pela marcação alta, sempre buscando o gol. Em relação a treinamentos, o São Paulo terá mais trabalhos setorizados no campo, tempos mais curtos e mais intensidade, assim como é feito na Europa. A companhia de Michael Beale é o contraponto de experiência de Ceni, segundo o que o próprio disse. Diferente do M1TO, Beale tem todos os certificados europeus e passou pelas bases de Chelsea e Liverpool, com grande sucesso na metodologia.

 

Fico feliz e ao mesmo tempo apreensivo com a coragem de Rogério em encarar um desafio tão grande em sua primeira experiência como técnico. Ao seu favor, um legado que dá respaldo diante de uma torcida afoita por títulos importantes. Talvez ele seja o treinador com mais crédito na história do futebol brasileiro sem mesmo ter treinado nenhum clube sequer. O torcedor só não estará ao seu lado se o time não tiver um mínimo padrão tático dentro de campo. Mas Ceni é inteligente e sabe do que é capaz. Ele chega com vontade, infra-estrutura, amparo e vivência para tentar escrever uma nova página de glórias no clube que, sob sua batuta em campo, ganhou tudo que podia. Elogiou muito a base e os atletas atuais do profissional mas precisará de um elenco a altura, dentro das condições atuais do clube.

 

Se vai dar certo só o tempo dirá. Nós, tricolores, torceremos muito.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.