Search Results For : Opinião

Hernanes: contratação de peso, que anima o time e a torcida!

Hernanes, “o profeta”, voltou para o São Paulo Futebol Clube. O meia de 32 anos, que pertence ao Hebei Fortune (CHI), retornará ao Tricolor em um empréstimo gratuito de um ano, com salários reduzidos ao seu atual vencimento na China. A notícia foi dada por volta das sete e meia da manhã para a torcida através das redes sociais oficiais do clube.

 

A contratação de Hernanes era remota até a noite de terça-feira. Não adaptado na China, a previsão era de volta a Itália, país mais adaptado aos filhos do jogador. A reviravolta ocorreu justamente na madrugada de terça para hoje. Hernanes deve chegar neste final de semana e se juntar ao grupo para os próximos jogos do Campeonato Brasileiro.

 

É contratação para mudar o patamar do meio-campo do time. Jucilei e Petros são excelentes jogadores mas precisavam de um jogador para ligar o meio ao ataque. A contratação pode auxiliar o crescimento de Cueva. Sem propostas para sair, o meia peruano deve voltar ao seu ritmo normal de jogo.

 

O Tricolor não para por aí: Marcos Guilherme deve chegar ao Morumbi (com o goleiro Léo a caminho em definitivo para o Atlético Paranaense) e pelo menos mais uma ou duas contratações poderão ser anunciadas nos próximos dias.

 

O negócio é comparecer no Morumbi e torcer. Muito…

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Lucão por Marcos Guilherme? Boa troca mas o São Paulo precisa mais…

A notícia vem do jornalista Jorge Nicola, do Yahoo. Precisando de um atacante de velocidade, o São Paulo toparia ceder o zagueiro Lucão para a Croácia em troca do atacante Marcos Guilherme, do Atlético Paranaense, emprestado ao Dínamo Zagreb. O empréstimo seria de uma temporada com direitos de compra fixos.

 

Marcos Guilherme despontou no furacão e na seleção brasileira de base, foi para o Dínamo e não se adaptou. Seu estilo de jogo é parecido com o de Dudu, do Palmeiras. Em 131 jogos pelo CAP ele anotou 15 gols (inclusive contra o Tricolor) mas vive jejum na Croácia. Seria opção pelas pontas em uma das posições mais carentes do elenco. Wellington Nem, Denílson e Marcinho são os velocistas que atuam pelos lados.

 

A troca é boa, sobretudo porque Lucão não tem chance alguma de voltar a jogar pelo Tricolor, mas o São Paulo precisa mais que o Marcos Guilherme. Precisa de um atacante de nome para atuar ao lado de Lucas Pratto. Alguém capaz de absorver a pressão pela crise e a zona da degola e realmente criar chances para o matador Tricolor. A diretoria tem obrigação de reforçar o elenco, já que as peças que vieram são muito mais reposições que reforços.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

OPINIÃO Chapecoense 2×0 São Paulo

O São Paulo sucumbiu mais uma vez no Brasileirão. Em Chapecó, a equipe até fez um bom primeiro tempo, mas com uma segunda etapa desastrosa dentro e fora do campo, os comandados de Dorival Junior perderam mais um ‘confronto direto’ e se complicaram na fuga da degola.

 

O primeiro tempo foi satisfatório. Mesmo com pouco perigo no gol do mandante, o Tricolor controlou bem o jogo e mostrou um pouco mais de organização que nas partidas do primeiro semestre. Já a segunda etapa foi um verdadeiro desastre. Dorival fez bem em trocar o fraco Nem por Marcinho mas errou feio ao tirar Cueva da partida. Mesmo não estando em sua melhor fase, o peruano era um pequeno ponto de lucidez criativo num meio combativo porém pouco inspirado. Ele estava querendo jogo. Depois de (mais um) gol sofrido de bola aérea, a velha falta de confiança voltou com tudo. O time não teve forças para sair da retranca formada pelos adversários e com muitos erros, ainda tomou mais um gol no apagar das luzes em falha clamorosa de Junior Tavares.

 

É até difícil comentar mais um resultado reverso; o fato é que a luta do São Paulo contra a degola neste momento está dramática e promete ter contornos dantescos até o final da competição. Ainda não chegamos no final do primeiro turno portanto ainda há chance de sair o mais rápido desse funil, desde que o grupo trabalhe muito e em sintonia para não repetir os erros crônicos que vem acontecendo desde o início do ano. Os próximos dois jogos serão no Morumbi e contarão com o apoio do torcedor. Não adianta chorar. Tem que levantar a cabeça e trabalhar.

 

Está mais que na hora de mudarmos a atitude e virarmos esse jogo!

 

Nota dos personagens da partida:

Renan Não saiu das traves no primeiro gol. Mais um tento de fora da área. Nota: 4,0

Bruno Partida medíocre. Briga feia com Buffarine na lateral. Nota: 3,5

Arboleda Estava bem mas assistiu a cabeçada no primeiro gol. Nota: 4,5

Rodrigo Caio Seguro. Nervoso após o placar adverso. Nota: 5,0

Junior Bisonho. Falhas nos dois gols da Chape. Nota: 2,5

Jucilei Partida ruim e falha no primeiro gol da Chape. Nota: 4,5

Petros Bem no primeiro tempo. Saiu na segunda etapa. Nota: 6,0

Gómez Esforçado mas ainda deslocado e improdutivo no ataque. Nota: 4,5

Wellington Nem Não é mais nem sombra do que era. Inútil. Nota 2,0

Cueva Boa partida no primeiro tempo. Não deveria ter saído. Nota: 5,5

Lucas Pratto Melhor que outrora mas muito pouco para ele. Nota: 5,5

Marcinho Pouco fez no lugar de Nem, mas é melhor que o titular. Nota: 5,0

Lucas Fernandes Se movimentou mas também produziu pouco. Nota: 5,5

Denílson Não mostrou futebol para ajudar a equipe no segundo tempo. Nota: 5,0

 

Dorival Junior O primeiro tempo foi aceitável. Errou ao tirar Cueva na segunda etapa. A equipe tomou o gol, a confiança desabou e as chances de gol, que eram raras, sumiram. Precisa tirar algumas apostas e trabalhar muito o técnico e o psicológico de cada jogador. Tá feia a coisa mas ainda há tempo e espaço para melhorar. Nota: 4,0

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Dorival muda a lateral direita. O que muda? Veja e comente a escalação:

O São Paulo está escalado para o confronto diante da Chapecoense neste domingo às 16h na Arena Condá, em Chapecó. O técnico Dorival Júnior promoveu uma mudança em relação ao empate da última quinta-feira. Na lateral direita, o argentino Buffarini dará lugar a Bruno.

 

Deste modo, a equipe que enfrentará a Chape será: Renan Ribeiro, Bruno, Arboleda Rodrigo Caio e Junior. Jucilei, Petros e Jonatan Gomez. Cueva, Wellington Nem e Lucas Pratto.

 

Bruno é mais ofensivo que Buffarini. A ideia neste caso é ter dois jogadores mais avançados nos lados do campo. Dorival deve revezas as subidas dos laterais e infiltrações nas diagonais, como acontecia nos seus tempos de Santos. Aos poucos o treinador vai implementando um novo modelo de jogo no time.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

 

Mea culpa: eu acreditei em Wellington Nem no São Paulo Futebol Clube!

Mea culpa (em português, mea-culpa) no Wikipédia significa uma frase latina que, em português, pode ser traduzida como “minha culpa”, ou “minha falha”. Consiste num pedido de perdão ou num reconhecimento da própria culpa.

 

Tenho que fazer uma mea culpa no caso de Wellington Nem, jogador que pedi, acreditei e banquei no São Paulo Futebol Clube através de textos no blog e também conversas com profissionais do mercado e do Tricolor.

 

O Wellington Nem que queria ver no Tricolor era aquele garoto que nasceu nas categorias de base do Fluminense, foi cogitado para a seleção olímpica de 2012, estourou no Figueirense de Jorginho e foi muiticampeão em 2012 no time de Fred, Conca e Muricy Ramalho. O Wellington Nem que eu queria era o campeão da Taça Guanabara, Campeonato Carioca e Campeonato Brasileiro de 2012, com assistências que “fizeram a fama” de Fred no Tricolor Carioca. Queria o Wellington Nem campeão pelo Shakhtar Donetsk em 2013/2014.

 

Infelizmente não deu certo. O atacante, com contratação aprovada por 99% da torcida, animou na pré-temporada, chegando a ser chamado por Rogério Ceni de ponto de desequilíbrio no time. As lesões musculares o atrapalharam muito; a gente vê um atleta sem o arranque de outrora, além da falta de confiança que também assola o elenco neste momento.

 

Peço desculpas. O Wellington Nem que eu imaginava que seria o maior assistente dos centroavantes do clube, tal qual foi no Figueirense, Fluminense e no seu primeiro ano no Shakhtar não existe mais. A experiência necessária para um Tricolor com falta de títulos deu lugar a falta de explosão, antiga marca registrada do atacante. Hoje não vemos nem sobra do garoto que prometia muito não só para os clubes como também para a seleção brasileira.

 

Seu lugar deve ser passado para Marcinho, Lucas Fernandes ou até Léo Natel ou Brenner. Infelizmente não consigo mais ver Wellington nem em campo, a não ser que ocorra um verdadeiro milagre do futebol.

 

Mil desculpas, amigos. Errei!

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.