Search Results For : Opinião

Calleri: gratidão, respeito e palavra!

Nação do Maior do Mundo;

 

Deu no portal Lance!: Jonathan Calleri, atualmente no West Ham, revelou que seus empresários foram procurados pelo Palmeiras, que teriam interesse em sua contratação para suprir a saída de Gabriel Jesus. No entanto, o argentino tratou de esfriar qualquer início de negociação com uma explicação no mínimo curiosa para qualquer torcedor brasileiro:

 

“Eles (os empresários de Calleri) sabem que sempre digo que no Brasil o único lugar que eu jogaria é no São Paulo. E sempre vou manter isso”

 

A resposta de Calleri é motivo de orgulho para o torcedor do São Paulo, mas é algo muito comum dos jogadores sul-americanos, sobretudo dos argentinos. Verón no Estudiantes, Tevez no Boca, Ortega no River… os craques hermanos tem identificação muito forte em seu DNA. Calleri foi completamente seduzido pela atmosfera e carinho da torcida do São Paulo e retribui com respeito e gratidão ao clube.

 

Não sei se isso é certo ou errado. Talvez no mundo do ‘futebol moderno’ (palavra nojenta criada pelos ditadores do futebol gourmet) seja um erro fechar as portas de outras agremiações, mas valorizo muito esse tipo de atitude. Até mesmo Rogério Ceni, em sua entrevista como novo treinador do Tricolor, foi sincero ao falar que não treinaria um clube rival. E foi bem na resposta: “Nem eles gostariam de me contar como técnico”.

 

Falta atitude, honra e palavra a muitos atletas aqui no Brasil que prometem e não cumprem, ora por má formação educacional, ora por má influência de maus empresários. Não é nem questão de ser mercenário… é mau direcionamento mesmo. Não citarei nomes mas tem um craque que está atualmente no Atlético Mineiro que fez juras eternas para um clube daqui do estado de São Paulo. Só para citar um exemplo. Temos vários…

 

Meu respeito a Calleri e toda a gratidão que ele tem ao São Paulo.

 

Nos veremos em breve.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Pub&Poker: um “all-in” de felicidade!

Nação do Maior do Mundo;

 

Fui na semana passada no Pub&Poker, bar e restaurante temático que acabou de ser inaugurado no estádio do Morumbi. O projeto é ambicioso: ele é o primeiro bar com a temática “Jack Daniel’s” no Brasil e um dos primeiros com o conceito “home game”, em que frequentadores podem reservar mesa profissional de poker para jogar com os amigos ou mesmo participar de torneios promovidos pela casa. Tudo isso aliado a atmosfera de futebol do Morumbi.

 

O local é sensacional e a comida muito boa. Experimentei como entrada o ‘bolovo’: um ovo cozido envolto numa casquinha crocante e linguiça artesanal do próprio Pub. Depois veio o prato principal; o Burger Jack: hambúrguer (de preferência mal passado), queijo Gouda, maionese defumada levemente picante, crispy de cebola e pão de brioche com o logo do bar ‘estampado’. Um dos melhores burgers que comi na vida, sem sacanagem. Para finalizar, pedi um bolo de fubá grelhado com sorvete de baunilha da Diletto e calda Toffee de Jack Honey, uma das variações doces de Jack Daniel’s. Para arrebatar, de tira gosto provei pela primeira vez o “Fire”, que é um Jack Daniel’s com canela. O Pub é o único lugar no Brasil oficialmente autorizado a vender essa bebida. Para aquecer com qualidade a goela.

 

O Pub&Poker receberá dois torneios por semana, para jogadores profissionais e admiradores que buscam por um lugar agradável, seguro e com ótima infraestrutura no Morumbi. Nos demais dias, o Pub funcionará como um bar e restaurante, com almoço a partir das 12h00 e jantar à partir das 18h00 e uma mesa ‘nervosa’ estará sempre disponível para partidas esporádicas.

 

Sou suspeito porque sou são-paulino, amo Jack Daniel’s e gosto de jogar poquer, apesar de ser um nobre amador, rs. Mas recomendo muito uma visita, até mesmo para comer durante um dos jogos: o Pub está na visão mais nobre do estádio: no meio do campo, na frente do escudo Tricolor.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Rogério volta para tentar escrever uma nova página de glórias no clube

Nação do Maior do Mundo;

 

“O São Paulo voltará a ser treinado por um são-paulino”.

 

A frase de Leco, presidente do Tricolor, no breve discurso de apresentação do novo treinador do clube não poderia ser mais feliz. Rogério Ceni foi apresentado como novo treinador do São Paulo nesta quinta-feira em uma mistura de emoção, curiosidade e saudosismo. O ídolo de milhares de torcedores do Tricolor concedeu entrevista coletiva e contou um pouco do que espera de sua nova fase no futebol.

 

Estive presente na coletiva de imprensa desta quinta-feira. Pelo curto tempo para um evento tão singular (a sala de imprensa do clube estava abarrotada de jornalistas, blogueiros e iluminados sócios torcedores do clube), poucas perguntas de fato técnicas foram aproveitadas para o treinador contratado. Normal, Rogério mal terminou os estudos para ser técnico habilitado na Europa para, segundo ele, se guiar pelo coração para atender um chamado do clube que tanto ama.

 

Deu para ver na cara dos sócios torcedores presentes a emoção do retorno. Mas Rogério mantém os pés no chão para aceitar críticas da função e trabalhar muito para colocar suas ideias em práticas, auxiliado por dois gringos de qualidade comprovada na Europa. Ele acredita que com os auxiliares e a comissão técnica fixa do clube, conseguirá compensar a falta de experiência na nova profissão com uma nova visão de trabalho.

 

Sobre sistema tático, Ceni foi direto: só poderá definir quando o clube definir o plantel, mas revelou preferência pela marcação alta, sempre buscando o gol. Em relação a treinamentos, o São Paulo terá mais trabalhos setorizados no campo, tempos mais curtos e mais intensidade, assim como é feito na Europa. A companhia de Michael Beale é o contraponto de experiência de Ceni, segundo o que o próprio disse. Diferente do M1TO, Beale tem todos os certificados europeus e passou pelas bases de Chelsea e Liverpool, com grande sucesso na metodologia.

 

Fico feliz e ao mesmo tempo apreensivo com a coragem de Rogério em encarar um desafio tão grande em sua primeira experiência como técnico. Ao seu favor, um legado que dá respaldo diante de uma torcida afoita por títulos importantes. Talvez ele seja o treinador com mais crédito na história do futebol brasileiro sem mesmo ter treinado nenhum clube sequer. O torcedor só não estará ao seu lado se o time não tiver um mínimo padrão tático dentro de campo. Mas Ceni é inteligente e sabe do que é capaz. Ele chega com vontade, infra-estrutura, amparo e vivência para tentar escrever uma nova página de glórias no clube que, sob sua batuta em campo, ganhou tudo que podia. Elogiou muito a base e os atletas atuais do profissional mas precisará de um elenco a altura, dentro das condições atuais do clube.

 

Se vai dar certo só o tempo dirá. Nós, tricolores, torceremos muito.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

OPINIÃO Camisa histórica e linda homenagem para os heróis da Chape!

Nação do Maior do Mundo;

 

O São Paulo fará história no próximo domingo. A tragédia envolvendo o avião da delegação da Chapecoense comoveu o mundo e promoverá uma alteração inédita no uniforme do último jogo do Tricolor no Brasileirão.

 

Pela primeira vez o clube adotará o verde em uma das cores de seu uniforme.

 

Por princípios e seguindo seu estatuto, o Tricolor nunca utilizou a cor verde, nem mesmo em uniformes de goleiro. A única vez que o verde entrou no uniforme foi no logo da Círio e em um detalhe do logo da marca Hero, com muitas críticas da torcida. Mas foram apenas detalhes de logomarca, que não compuseram o uniforme. Para domingo, os jogadores entrarão com uniforme preto e verde, a camisa terá apenas os escudos do São Paulo e da Chape, os números e nomes dos atletas falecidos e a inscrição #ForçaChape em verde, cor do clube catarinense. Em uma das mangas existirá um selo preto com o número de mortos na tragédia de Medellín.

 

A camisa ficou maravilhosa e eu não veria receio nenhum em usar o verde na composição do uniforme Tricolor neste caso histórico. Embora o verde não fazer parte do meu vestuário, usaria essa camisa fácil. Apesar da richa histórica entre São Paulo e Palmeiras (que para mim e para muitos torcedores é maior que a richa entre Palmeiras e Corinthians) o motivo é mais que nobre. Parabéns diretoria por fazer história e ajudar o próximo num contexto tão triste.

 

Este uniforme não será largamente comercializado. O motivo é simples: o tempo de produção deste tipo de material seria de no mínimo seis meses a um ano desde a compra dos tecidos (importados), corte, costura, transporte, venda as lojas e etc… As camisas utilizadas pelos jogadores no jogo serão leiloadas em prol das famílias dos 19 jogadores falecidos. Ainda não se sabe como será o processo de leilão.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Com Rogério Ceni no comando, SPFC terá “mais Cotia na Barra Funda”

Nação do Maior do Mundo;

 

O técnico Rogério Ceni, que será apresentado na próxima quinta, quer de fato inovar no comando do São Paulo em sua primeira experiência como treinador de futebol.

 

O novo técnico está em contato direto com o Centro de Formação de Atletas Laudo Natel, em Cotia, e pediu que algumas promessas do multi-campeão Sub20 Tricolor já subam para o profissional, ao menos por um período de testes.

 

A geração de 1996 é sem dúvidas uma das mais promissoras dos últimos anos. Além de adequar o elenco a uma nova realidade financeira, Rogério acredita na nova ideologia e acredita na compreensão tática dos garotos. O novo treinador contará com uma comissão técnica especializada no assunto. Michel Beale, por exemplo, virá ao Brasil depois de experiências bem sucedidas na base do Liverpool.

 

Atletas como Foguete, Shaylon e Júnior (que vieram de Vasco, Chapecoense e Grêmio) certamente terão espaço no elenco principal, até porque não poderão mais participar da base em 2017 pela idade. O técnico do Sub20 André Jardine foi direto em entrevista para a ESPN Brasil: “O Rogério valoriza muito a categoria de base, está olhando todos os nossos jogos. Nenhum outro treinador fez isso, de vir, sentar em Cotia e ver o jogo. Aqui está o futuro do clube. O Rogério está aqui para fazer um trabalho a longo prazo, não só para o ano que vem”.

 

É bom lembrar que a atenção maior com a base é essencial, mas que o clube também está procurando por nomes de peso e experiência para ajudar os garotos dentro de campo. No profissional, a realidade é muito diferente dos jogos entre garotos de clubes de base.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.