Search Results For : Opinião

Torcida única: uma triste realidade!

Nação do Maior do Mundo;

 

Os presidentes de São Paulo e Corinthians pedirão o fim da torcida única nos clássicos envolvendo as duas equipes pelas semifinais do Campeonato Paulista. O Palmeiras, através de seu presidente, também é simpático a ideia. A informação é do Globoesporte.com

 

Torcida única é mais uma medida que aos poucos vai acabando com a graça do futebol no estado de São Paulo. Acho um absurdo os órgãos competentes (ou seriam incompetentes) determinarem este tipo de ação por justamente não conseguirem coibir a violência dos torcedores no estádio e nos pontos de encontro como metrôs e estações de ônibus. Mas infelizmente foi uma medida de sucesso, como contra-argumentará a PM e o Ministério Público.

 

Bem ou mal, o fato é que as ocorrências diminuíram a quase zero após a medida. A sensação de segurança que muitos torcedores tem ao poderem ir ao estádios sem o perigo do adversário também fez aumentar o número de torcedores nos clássicos, permitindo uma média de público muito significativa no Campeonato Paulista. Por isso eu considero quase nula a chance de voltarem com clássicos de duas torcidas. A triste realidade é essa.

 

Deixo aqui um trecho de uma música que adoro, como reflexão não só para o futebol como para muitos setores da nossa sociedade: “As grades do condomínio são para trazer proteção; mas também trazem a dúvida se é você que está nessa prisão. Me abrace e me dê um beijo, faça um filho comigo mas não me deixe sentar na poltrona no dia de domingo. Procurando novas drogas de aluguel nesse vídeo coagido, é pela paz que eu não quero seguir admitindo.”

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Paolo Montero: “É preciso lavar a boca para falar de Lugano”

Nação do Maior do Mundo;

 

A frase acima é de Paolo Montero, um dos ex-jogadores de mais prestígio no Uruguai.

 

Na matéria do site Trivela, o ex-jogador do Peñarol, Atalanta e Juventus (ITA) e atual técnico do argentino Rosario Central, foram abordados diversos assuntos relacionados a seleção uruguaia. Um dos assuntos foi Lugano. Montero destacou a história vencedora e o profissionalismo do zagueiro campeão da Libertadores e Mundial pelo São Paulo. “Lugano é um animal, um ganhador nato.” – disse ele, valorizando o trabalho deixado pelo ex-capitão da seleção celeste.

 

Veja a matéria de Paolo Montero na integra no site Trivela.

 

É um bom momento para tratarmos o ‘caso Lugano’, e serei tão direto como o histórico carrinho no Gerrard em Yokohama: o São Paulo precisa renovar o contrato do uruguaio, ídolo da torcida e um dos líderes do elenco. Não falo só pela história (até porque Lugano está em fim de carreira), mas também pelo momento. Apesar de não figurar entre os titulares, o atleta não decepcionou quando esteve em campo, a não ser quem achava que veria o Lugano de dez anos atrás. Ele ainda faz o arroz com feijão com competência (leia-se: sem lambanças) e tem ajudado bastante no backstage, isso é, na transição Cotia/Barra Funda ao lado de Rogério e a comissão técnica. Com sua experiência, Lugano ajuda os jovens a se posicionarem melhor nos treinos e isso é quase tão importante quanto uma eventual presença em campo. Pagamos caro, mas temos um ‘professor de luxo’ ainda em ativa na Barra Funda.

 

Profissional e vencedor como Paolo Montero fez questão de ressaltar, Lugano ainda tem lenha para gastar, seja dentro de campo ou fora dele. Leco disse que provavelmente renovará o contrato do jogador, se estiver na presidência. Não sei se o clube está trabalhando essa renovação, mas Lugano deve fazer carreira no clube, tal qual Rogério e Pintado.

 

Um patrimônio da raça, glória e profissionalismo.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

OPINIÃO São Paulo 5×0 Linense

Nação do Maior do Mundo;

 

O segundo tempo foi um passeio! Com um bom volume ofensivo e ótima tarde de Gilberto, Jucilei e Thiago Mendes, o São Paulo cumpriu bem o dever de casa e está classificado para as semis do Paulista. A equipe saberá quem será o adversário na segunda-feira.

 

Vinte e sete mil pessoas assistiram a goleada Tricolor no Morumbi. Número surpreendente, até porque todos já sabiam que era quase impossível o time perder a vaga, após boa vantagem feita no domingo passado. Mesmo assim o primeiro tempo não foi um jogo fácil. Mesmo com mais volume de jogo, o São Paulo cedeu muito campo ao adversário. O resultado foi um ‘toma lá da cá’ que em muitos momentos botaram perigo na meta de Renan. O arqueiro até teve um momento decisivo, praticamente cara a cara com o ataque do Linense. Saímos na frente no nosso pior momento, graças a uma excelente jogada de Gilberto. O centroavante rompeu a defesa adversária como nos velhos tempos de Careca (ou Luis Fabiano) e marcou um lindo gol, que praticamente liquidou as esperanças e o bom primeiro tempo do Linense.

 

Já o segundo tempo, ah… o segundo tempo foi um verdadeiro passeio. É esquisito falar isso mas a saída do ótimo Rodrigo Caio, que jogou a frente da zaga hoje, foi benéfica ao time. Jucilei entrou e tomou conta do meio-campo. Ele, Cícero e Thiago Mendes encontraram os buracos do já desesperado adversário e, com eficiência, chegaram a goleada. Os gols de Thiago Mendes (2), Gilberto e Tomáz levantaram a nação são-paulina que, em sintonia, vibraram juntos a classificação.

 

Ponto positivo da partida: sem violência e lances de cartão. Com Buffarini em campo! Aliás, brincadeiras a parte, o argentino foi um leão na direita. Desarmou, combateu e jogou bola. Se fosse sua estréia, conhecendo nossa torcida, já estaria com música, apelido… tá valendo!

 

Agora o papo é mais reto: Cruzeiro na quinta e a semifinal no fim de semana. O time de Mano Menezes ainda não perdeu em 2017, mas o São Paulo é São Paulo, principalmente diante dos mineiros. Serão dois jogos alucinantes e a torcida está intimada a bater cartão no Cícero Pompeu de Toledo. Quem vamos?

 

Nota dos personagens da partida:

Renan Participação importante no primeiro tempo. Seguro. Nota: 8,5

Buffarini Um leão em campo. Na sua posição de origem. Nota: 7,5

Maicon Seguro e eficiente. Sem problemas. Nota: 7,5

Lucão Finalmente está rifando bolas. Zagueiro virando zagueiro. Nota: 7,5

Junior Boa partida, auxiliando a defesa e tentando o ataque. Nota: 7,0

Rodrigo Caio Começou a frente da zaga e saiu muito cedo. Sem nota.

Thiago Mendes Cresceu muito com a entrada de Jucilei. Dois gols! Nota DEZ!

Cícero Boa partida, sem destaque mas cumprindo bem o papel. Nota: 7,0

Thomaz Bela ‘estréia’ com ação na direita, assistência e gol. Nota DEZ!

Luiz Araújo Bem taticamente. Ajudou o ataque e a defesa. Nota: 7,0

Gilberto Melhor em campo. Dois gols (um em momento difícil) e assistência. Nota DEZ!

Jucilei Entrou, tomou conta do meio e mudou o jogo. Assistência monstro! Nota: 9,5

Wesley e Neílton Completaram o time no final do jogo. Sem nota.

Rogério Ceni Primeiro tempo muito aberto. Na segunda etapa, aproveitou a saída do Linense ao ataque e fez o que tinha que ser feito com brilho e apoio do torcedor. Vamos fortes para a Copa do Brasil. Nota: 8,0

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

São Paulo obtém lucro incrível com venda de 50% de Rogério ao Sport

Nação do Maior do Mundo;

 

Enfim, o Sport exerceu o poder de compra do atacante Rogério.

 

O clube pernambucano, que já havia comprado 25% dos direitos do jogador junto ao Náutico em 2016 por R$ 2,5 milhões, agora desembolsou mais R$ 3,5 milhões de reais por mais 25% e o direito de ficar com o atleta. Segundo o presidente do Sport, Arnaldo Barros, era desejo de Rogério permanecer no Leão da Ilha. Os outros 50% ainda pertencem ao Tricolor.

 

Pois bem. Se Rogério optou pelo Sport, é melhor ficar por lá mesmo. O São Paulo, que comprou 100% do atleta por R$ 1,6 milhões, no total ganhou R$ 6 milhões com a venda de metade dos direitos econômicos. Um lucro de R$ 4,4 milhões e que pode ficar ainda maior numa futura venda. Agora, o Tricolor tem obrigação de correr atrás de um atleta com as mesmas características para o Brasileirão, já que era desejo de Ceni contar com o xará, até antes do torneio nacional. Centurión poderá voltar mas o clube conta com a sua também valorização para, de preferência, faturar em cima da ótima fase no Boca.

 

Eu miraria a América do Sul. Principalmente gente que se destacará na Libertadores.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

OPINIÃO Def y Justicia 0x0 São Paulo

Nação do Maior do Mundo;

 

Um jogo franco e disputado no estádio do Lanús, mas faltou competência para as duas equipes e o resultado acabou sendo justo. Com o empate, o São Paulo leva a decisão para o Morumbi precisando de apenas uma vitória simples.

 

O Tricolor teve que superar o gramado seco, os desfalques e a formação quase inédita para jogar contra o Defensa y Justicia. O primeiro tempo foi bem satisfatório, com chances agudas e a defesa segura. Faltou um pouco de controle do jogo e principalmente alguém que organizasse ofensivamente as jogadas. Mesmo assim, a atuação da zaga e de Jucilei davam suporte a equipe, dando a impressão que nesta toada o gol sairia a qualquer minuto.

 

Ceni tentou corrigir a criação com Shaylon, mas o garoto não conseguiu fornecer jogo para Pratto, Chavez e Nem. O jogo piorou para o Maior do Mundo e o adversário começou a se arriscar mais, sem qualidade ofensiva. Na tentativa de mudar a equipe, Chavez deu lugar a Junior Tavares. A estranha substituição manteve Buffarini que, pendurado desde os 5 minutos de jogo, foi expulso após falta próxima a grande área. A partir daí o empate, que era bom, ficou ótimo. A equipe se fechou e tentou esporádicas arrancadas.

 

Com tanta mexida no time, sistema e alterações, não dá para dizer que o resultado foi ruim. Mas poderia ser melhor: Nem poderia ter convertido uma das chances que teve, Shaylon poderia tomar mais conta do jogo e Thomaz poderia ter tido uma chance no meio ou ataque. Mas podemos ver pontos positivos: a defesa com Lucão, Rodrigo Caio e Jucilei (o JUCIMONSTRO) foi praticamente impecável. Mais um jogo sem tomar gols. Importante para a confiança dos jogadores.

 

Nem céu nem inferno: o resultado nos interessou e isso foi o mais importante na estréia da Sulamericana. Aqui em São Paulo o lance é fazer valer a camisa, a tradição, o estádio e a torcida e se classificar.

 

Nota dos personagens da partida:

Denis Não teve grandes problemas com o fraco ataque adversário. Nota: 7,0

Araruna Partida discreta, com bom trabalho defensivo. Nota: 6,0

Lucão Muito bem. Segurança que me deixou surpreso Nota: 8,5

Breno Também foi bem. Tirou uma bola importante na pequena área. Nota: 7,5

Rodrigo Caio Início titubeaste mas depois comandou a zaga. Nota: 8,5

Buffarini Expulsão tão previsível quanto seus carrinhos. Nota: ZERO

Jucilei Um monstro. Desarmou e saiu para o jogo com excelência. Nota: 9,0

João Schmidt Burocrático. Não cheirou nem fedeu. Nota: 5,5

Wellington Nem Perdeu chance incrível mas correu e lutou bastante. Nota: 6,0

Chavez Pouco eficiente no ataque. Marcou com disciplina. Nota: 5,5

Lucas Pratto Bom primeiro tempo. Pouco acionado na segunda etapa. Nota: 7,0

Shaylon Infelizmente não entrou bem. Perdido em campo. Nota: 4,5

Junior Tavares Trabalho defensivo satisfatório. Não arriscou no ataque. Nota: 6,0

Wellington Sem nota.

Rogério Ceni Ao meu ver errou ao não substituir Buffarini para a entrada de Junior Tavares. O argentino estava com os dias contados em campo. No mais, tentou mudar o esquema no segundo tempo mas não teve resultado pela pouca eficiência de Shaylon e a queda de rendimento geral. Nota: 5,5

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.