Search Results For : Opinião

Com Raí e Vinícius Pinotti, São Paulo inicia nova era de gestão profissional

Nação do Maior do Mundo;

 

Com o fim das eleições, é hora de iniciar uma nova e importante etapa no clube.

 

Sob regência do Novo Estatuto, o presidente reeleito e seus diretores já começam a mostrar uma nova composição. Conforme antecipado pelo blog no início de março, Raí será membro do Conselho Administrativo, uma das novidades do novo código Tricolor. Composto por nove pessoas, o Conselho será uma espécie de bússola que norteará as ações do clube, descentralizando as decisões dos futuros presidentes.

 

Outra novidade é a remuneração de diretores. Os cargos de vice se extinguem e posições como o Marketing e o Futebol serão ocupadas por diretores assalariados e comprometidos com o clube em horário comercial. Até hoje o Tricolor contava com voluntários em posições estratégicas, que muitas vezes saíam de seus compromissos para, ao final da tarde, chegar ao Morumbi e varar a noite trabalhando para o clube.

 

Desta maneira, o primeiro nome a ocupar a direção do futebol, cadeira vaga desde a saída de Marco Aurélio Cunha, deverá ser Vinícius Pinotti. Se for confirmado, o ex-diretor de marketing receberá salário e se dedicará em tempo integral comandando o setor, que deverá ter adjuntos remunerados. Alexandre Pássaro, advogado que trabalha os contratos dos jogadores, deve permanecer no seu cargo, executando sua importante função.

 

Raí é uma escolha ‘hour concour’. Um dos maiores ídolos do clube, ele atualmente é empresário e  sócio de vários empreendimentos (um deles dentro do próprio Morumbi), além de uma ONG muito bem sucedida: a “Gol de Letra”. Já o nome de Pinotti para o futebol foi uma surpresa para mim. Mas pode dar certo, pela configuração atual do futebol. Apesar de não ter experiência na área (grande ponto negativo), é jovem, conta com a confiança do presidente e possui grande capacidade para se habilitar rapidamente na função, trabalhando ao lado do treinador e o departamento profissional de análise e estatísticas. Com Vinícius, cresce ainda mais a estabilidade de Rogério Ceni, não só no cargo de treinador mas também de ‘manager’ em um projeto de dois anos que o Tricolor aposta boas fichas.

 

Agora vai um pitaco de amigo: Vinícius é são-paulino de verdade e duvido que usaria o cargo mais importante do clube para interesses pessoais. A visibilidade será enorme e as críticas devem vir fortes, mas creio que, do modo como está configurado o setor (comissão técnica, departamento de análise e profissional de contratação), ele terá condições plenas para desempenhar um bom papel.

 

Boa sorte para Raí e Pinotti. Que o clube comece com o pé direito essa nova etapa.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

OPINIÃO Cruzeiro 1×2 São Paulo

Nação do Maior do Mundo;

 

Um jogo emocionante no Mineirão. O São Paulo ganhou a partida e tirou o “cabaço” do último clube da série a invicto da temporada. Mas não levou. O Cruzeiro está classificado para o andamento da Copa do Brasil.

 

Peço licença aos meus leitores para não comentar lances do jogo mas sim o geral de uma das poucas partidas recentes que o time brigou até o fim e vendeu muito caro a classificação. Hoje, meus amigos, não dá para criticar ninguém por falta de luta. Talvez falta de sorte na barreira do gol da Raposa, talvez nosso camisa dez não totalmente recuperado… toda partida tem algo a ser criticado mas o fato é que o São Paulo fez uma excelente partida, dentro de um dos seus piores cenários nesta temporada. Caiu de pé e com honra.

 

Portanto, amigos, ao invés de ficar no mantra “mais um ano sem título” eu prefiro parabenizar todos os jogadores pela garram vontade e luta dentro de campo. Infelizmente a vaga foi perdida nos erros do Morumbi. Outra coisa: Rogério Ceni é um técnico inexperiente, mas não é ingênuo. Não existe milagre ou mágica. Existe é trabalho e aplicação. Tenho fé que teremos dias melhores. Queria a classificação (e quase a tivemos) mas no momento estou muito feliz pelo ótimo jogo que fizemos.

 

Parabéns a todos pela luta! Domingo tem mais luta. Podem ter certeza!

 

Nota dos personagens da partida:

 

Renan Ribeiro Sem culpa no gol. Uma defesa fantástica! Nota: 9,0

Bruno Começou bem mas infelizmente sentiu a lesão e saiu cedo. Sem nota.

Maicon O “torcedor/dirigente” torce o nariz. Foi um monstro na zaga. Nota: 9,0

Rodrigo Caio Sua falha hoje foi decisiva. “Fail Play”. Nota: 3,5

Junior Partida abaixo da média, mas lutou. Nota: 6,0

Wesley Lutou e correu pelo meio e depois na lateral. Nota: 6,5

João Schmidt Cumpriu o seu papel. Nota: 6,5

Cícero Discretíssimo em campo. Voltei a duvidar de sua utilidade. Nota: 5,0

Cueva Partida muito, muito ruim. Parece que jogou no sacrifício. Nota: 4,0

Morato Bela estréia. Se continuar assim pega uma vaga no ataque. Nota: 9,0

Lucas Pratto Gol e muita combatividade. Se entregou demais! Nota DEZ!

Jucilei Seria poupado mas entrou e levou bem o jogo. Nota: 7,0

Gilberto Tem que estar em campo em Itaquera. Ponto! Nota DEZ!

Thomaz Foi bem no pouco tempo que jogou. Nota: 7,0

 

Rogério Ceni Belo jogo. Por muito pouco o São Paulo não sai do Mineirão com uma épica classificação. O Cruzeiro sem dúvida era o adversário mais difícil que o clube pegou no sorteio e mesmo assim nos dois jogos não mostrou a superioridade que se esperava dele diante do Tricolor. Quem confia no trabalho não se decepcionou com o jogo de hoje. Quem já esperava a desclassificação que vá para o inferno! Nota: 9,0

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Rogério Ceni tem três possíveis escalações em Minas. Veja quais são:

Nação do Maior do Mundo;

 

Rogério Ceni relacionou muita gente nova para o jogo contra o Cruzeiro, pela Copa do Brasil. Precisando ganhar por pelo menos dois gols de diferença para ter chances de classificação, a equipe tenta o improvável no Mineirão na noite desta quarta-feira.

 

Éder Militão, Morato, Marcinho e Edimar são os estreantes relacionados para o jogo. Militão foi promovido da base, Morado e Marcinho são apostas vindas do estadual e Edimar está recuperado de uma lesão quando chegou ao clube. Entretanto nenhum deles deve começar o jogo.

 

Bruno, também recuperado de lesão, pode ser a surpresa na lateral. Ele concorre com Wesley, que pode atuar pela função. Aliás, para muitos, a posição que Wesley melhor se encaixou foi justamente a lateral direita. Suspenso, Thiago Mendes não viajou, portanto a chance de Thomaz começar o jogo é bem considerável.

 

Ceni também pode alterar o esquema de jogo, colocando mais um zagueiro e promovendo a dupla Pratto/Gilberto. Deste modo temos duas possíveis escalações para o confronto em Minas:

 

4-2-3-1
Renan Ribeiro, Bruno (Wesley), Maicon, Rodrigo Caio e Junior Tavares. Jucilei, Cícero e Thomaz. Cueva, Pratto e Luiz Araújo.

 

3-5-2
Renan Ribeiro, Maicon, Rodrigo Caio e Lucão. Bruno (Wesley), Jucilei, Cueva, Thomaz e Junior Tavares. Pratto e Gilberto.

 

4-4-2
Renan Ribeiro, Bruno (Wesley), Maicon, Rodrigo Caio e Junior Tavares. Jucilei,  Cícero, Thomaz e Cueva. Pratto e Gilberto (Luiz Araújo).

 

ATUALIZADO: O time que entrará em campo é esse: Renan, Bruno, Maicon, Rodrigo Caio e Junior. João Schmidt, Wesley, Cícero e Cueva. Morato e Pratto. 

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

OPINIÃO: Leco presidente!

Nação do Maior do Mundo;

 

Carlos Augusto de Barros e Silva, 79 anos, venceu Eduardo Mesquita Pimenta, 78 anos, em um dos sistemas de votação mais arcaicos dos grandes clubes brasileiros e continuará presidindo o São Paulo por mais três anos. O Tricolor também nomeou outros cargos importantes dentro do novo regime de estatuto, que começa a ser operado em sua totalidade à partir de hoje.

 

Tenho esperança em dias melhores para o São Paulo. Primeiro porque a nova administração agora governará sob um dos estatutos mais atuais e bem elaborados dos clubes brasileiros, que prevê gestão profissional remunerada em cargos vitais (até mesmo o presidente), descentralização do poder e ações que melhorarão os processos administrativos, como eleições no final do ano e não no meio de competições importantes. Segundo porque a oposição, mesmo derrotada neste pleito, renasceu e isso já é uma grande vitória. Um clube como o São Paulo não pode ficar tanto tempo com apenas com uma visão de administração. Ainda aguardo uma terceira via jovem e revigorada, mas mesmo com muitos nomes que nem gosto de lembrar, a oposição se fez presente.

 

Quando Leco foi eleito em outubro de 2015 após uma vitória retumbante sobre Newton do Chapéu, na época eu ‘paguei para ver’. Pois o atual presidente me surpreendeu positivamente. Em um curto período, sua gestão alongou as alarmantes dívidas de curto prazo, continuou melhorias estruturais no estádio, retomou o marketing mesmo com a crise profunda que vive o país e está trabalhando o futebol com seriedade, estendendo contratos e adquirindo melhores jogadores que em anos passados. E uma das coisas mais importantes: não interferiu no Novo Estatuto.

 

Tudo isso é bom mas ainda é pouco. Muito pouco. Como formador de opinião e não votante, achei prudente me manter ausente do processo eleitoral e como torcedor continuarei a cobrança de conquistas regulares e títulos que condizem com a grandeza do Tricolor. É também obrigação permanente do blog estar sempre de olho em atos suspeitos ou não condizentes com o DNA do clube. Porém, o momento é de união e mais um voto de confiança. Que Leco e seus aliados deixem de lado as desavenças políticas deste período e governem para todos os são-paulinos, baseado no princípio da conquista de glórias, melhoria de patrimônio e manutenção do caixa azul.

 

Boa sorte!

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Sem Araruna, Bruno e Buffarini, Wesley deve voltar a lateral direita

Nação do Maior do Mundo;

 

O São Paulo ganhou mais problemas para as próximas semanas.

 

Além de Wellington Nem, com lesão no menisco, o meio-campista improvisado na lateral direita Felipe Araruna saiu do clássico de domingo com um estiramento na coxa. A lesão não é grave mas o atleta deverá desfalcar a equipe ao menos diante do Cruzeiro, em Belo Horizonte.

 

Com a ausência de Araruna, e sem Bruno e Buffarini (também lesionados), a tendência é que Wesley assuma imediatamente o posto. Meio-campista de formação, o jogador já atuou pelo setor em alguns jogos e não comprometeu. Não cabe nem discussão se Wesley servirá ou não para jogar na lateral. Não tem outro!

 

Aí fica a pergunta: o que acontece com a preparação física dos atletas? São muitas lesões já registradas no ano, inclusive de gente que nem estreou pelo clube. Em comparação com os rivais do estado somos disparado o clube com mais lesionados. É normal uma situação dessas?

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.