Search Results For : Temporada 2017

OPINIÃO Atlético PR 1×0 São Paulo

Nação do Maior do Mundo;

 

Uma bobeada no início do jogo e a incapacidade de chutar com qualidade a gol marcaram o quarto jogo sem vitória do São Paulo no Campeonato Brasileiro. A equipe estacionou nos perigosos dez pontos e já se mistura na “zona da confusão” da parte debaixo da tabela.

 

Esse foi o típico jogo que as estatísticas enganam muito. Após o gol ‘relâmpago’ tomado, o Tricolor equilibrou o jogo e em muitos momentos encurralou os donos da casa, mas não teve competência para furar o eficiente sistema defensivo paranaense e não soube chegar ao gol adversário. Mérito quase total do Atlético: apesar de não incomodar Renan Ribeiro no segundo tempo, o ferrolho do CAP funcionou perfeitamente. Pratto, que alfinetou a defesa no jogo de Itaquera se incomodaria dos defensores criticarem o ataque Tricolor no jogo desta quarta? O meio e o ataque precisam criar e finalizar mais.

 

Porém temos dois pontos positivos, se é que podemos achar algo de bom numa derrota: as estréias de Denílson e Brenner. O primeiro mostrou muita personalidade, arrancando pela esquerda para o meio e arriscando alguns chutes. Já o menino de 17 anos estreou no profissional e pode sentir o gosto de vestir a camisa mais pesada do Brasil.

 

Restará ao São Paulo esperar os reforços estarem aptos, juntar os cacos e tentar vencer o Fluminense no fim de semana, no Morumbi. Outra pedreira, pois o Tricolor Carioca vem de vitória fora de casa diante do Avaí, em Florianópolis. Dois tabus estão mantidos após o jogo na Arena da Baixada: o Tricolor não vence o CAP no Paraná e o CAP não vence o São Paulo em finais de Libertadores. Qual seria o tabu mais precioso? Você decide, leitor!

 

Nota dos personagens da partida:

Renan Ribeiro Sem culpa no gol. Partida segura Nota: 6,5

Thiago Mendes Bom trabalho no primeiro tempo. Nota: 6,0

Militão Falhou feio no gol. No restante, jogou tranquilamente. Nota: 4,0

Lugano Apesar de uma atrasada falha, partida tranquila. Nota: 5,5

Rodrigo Caio Atento e bem postado. Nota: 6,0

Junior Melhor no primeiro tempo, jogando com Cueva. Nota: 6,0

Jucilei Fez o seu trabalho com competência. Nota: 6,5

Cícero A insistência de Ceni com ele deve acabar com a chegada dos reforços. Nota: 4,0

Cueva Até quis o jogo mas precisa ser ‘mais’ em campo. Substituído. Nota: 5,5

Marcinho Boa partida, tanto no ataque quanto na linha mais defensiva. Nota 7,5

Lucas Pratto Pouco acionado. Não aproveitou as bolas que teve. Nota: 5,0

Denílson Estreia com personalidade. Nota: 6,0

Wellington Nem Tá mais atrapalhando que ajudando em campo. Nota: 4,0

Brenner Entrou e tentou imprimir uma correria. Nota: 6,0

 

Rogério Ceni O gol relâmpago obrigou o São Paulo a jogar com mais intensidade e o time não fez uma má partida. Mas chutou muito pouco no gol, e não teve qualidade nos poucos arremates, por isso não considero o resultado injusto. Méritos a defesa adversária. Ceni até tentou: mudou o esquema com e sem colocar jogadores e esmagou os donos da casa no campo de defesa, mas a qualidade do ataque não foi suficiente para um melhor resultado.  Nota: 5,5

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Ex-clube anuncia Robert Arboleda como novo zagueiro do São Paulo

Nação do Maior do Mundo;

 

Que quarta feira! Em uma só tacada o São Paulo acertou as chegadas de três jogadores: o meia Jonathan Gómez, o volante Petros e o zagueiro Robert Arboleda. E ainda tem mais: o volante Matheus Jesus, da Ponte Preta, pode fechar com o Tricolor nos próximos dias.

 

Gómez foi anunciado oficialmente pelo Tricolor. O Betis aceitou a proposta Tricolor e Petros tem todo o acerto definido com o clube e, finalmente, o Universidade Catolica de Quito, ex-clube de Arboleda, anunciou o destino do zagueiro em seu agradecimento no Twitter oficial.

 

O zagueiro disputou sua última partida pelo clube equatoriano nesta quarta-feira. O Universidade Catolica goleou o River ECU por 4×0 em sua casa. Após a partida os jogadores se despediram do novo xerife Tricolor.

 

Os três novos contratados se juntarão a Maicosuel, Denílson na tentativa do São Paulo de remontar o elenco após as saídas de Luiz Araújo, Breno, Wellington, Maicon e Lucão. Vinicius Pinotti, diretor de futebol, disse em entrevista coletiva que estava insatisfeito com o elenco. Pelo visto estava com o tamanho da insatisfação da torcida.

 

A defesa é o setor que mais preocupa a torcida.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Com proposta na mesa, Lugano decidirá seu futuro no São Paulo!

Nação do Maior do Mundo;

 

Demorou muito além da conta, mas aconteceu: finalmente o São Paulo apresentou a Diego Lugano uma proposta de permanência no clube por mais seis meses. O zagueiro agora que decidirá se aceita as condições do Tricolor ou se sai do clube no fim do mês, quando termina seu contrato.

 

A proposta Tricolor é basicamente a uma extensão do contrato até o final do ano e a realização um evento de despedida nos moldes do realizado com Rogério Ceni, com parte da renda destinada ao próprio jogador. O grande problema é que Lugano não está propenso a parar de jogar no final do ano, então o evento poderia servir como despedida do atleta do São Paulo, clube que conquistou as maiores glórias em 2005, e não como um encerramento de carreira.

 

O caso agora está com o jogador e seu estafe. Em pesquisa realizada aqui no blog, 92% dos torcedores aprovam a permanência do jogador, alguns sugerindo diminuição do salário, outros sugerindo produtividade. A permanência do uruguaio uma força considerável após as saídas de Maicon e Lucão.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Lucão e Casemiro são jogadores e situações completamente diferentes!

Nação do Maior do Mundo;

 

Lucão está com os dias contados no São Paulo.

 

O jogador muito provavelmente abreviou sua saída do clube após a declaração pós-jogo, onde ironicamente disse que estava saindo do Tricolor, para a alegria de muitos torcedores. A declaração pegou mal entre os diretores e o jogador muito provavelmente não seguirá com o elenco para Curitiba.

 

Entre as muitas discussões nas redes sociais, algumas comparam o zagueiro a Casemiro, que também saiu ‘chutado’ e se transformou em um dos melhores volantes do mundo, atuando no Real Madrid. O ex-diretor Marco Aurélio Cunha é um dos que defendem o zagueiro e o comparam com o volante merengue.

 

Respeito muito o Dr. Marco Aurélio, mas Casemiro e Lucão são jogadores e situações completamente diferentes. Casemiro sempre teve potencial e talento para a volância; o que o atrapalhou foi a falta de foco nos treinamentos e na vida de atleta profissional, algo que conquistou com a maturidade na Europa. Ele mesmo confessa isso em entrevistas no velho continente. Ouso dizer que, se Casemiro não saísse naquele momento, não renderia nada ao clube. O São Paulo recebeu pouco, mas não foi a falta de talento que tirou Casemiro do Morumbi.

 

Lucão é diferente: até onde sabemos não é da noite, parece ser bom moço como Rodrigo Caio e teve inúmeras chances para jogar no São Paulo, mas falhou demais, muito além da conta para um atleta de um clube do nosso tamanho. Foram falhas leves, graves e aberrações defensivas que viraram muitos gols contra o patrimônio Tricolor. Ao invés de ser emprestado e ganhar rodagem, como Tormena e Lucas Kal, o clube sempre buscou sua rendenção e a conta veio, até mais tarde que o normal.

 

A dramática passagem pelo profissional do São Paulo não quer dizer que Lucão não possa se tornar um bom jogador no futuro. Pode, e o futebol é assim mesmo, mas é certo que dentro do São Paulo ele não conseguirá trabalhar. A torcida, com ou sem razão, também está no seu limite.

 

Que o clube repare de vez essa insistência e que Lucão seja feliz em outro lugar.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

OPINIÃO São Paulo 1×2 Atlético Mineiro

Nação do Maior do Mundo;

 

Foi com muita dor e revolta que o torcedor recebeu a primeira derrota do clube em sua casa neste Brasileiro. Com o gol tomado aos 35 minutos de jogo, o Tricolor não teve forças para mais nada, viu sua invencibilidade ir por terra abaixo e despencou na tabela do torneio.

 

Venceu quem errou menos. E o São Paulo, apesar de ter lutado bastante nos dois tempos e até feito uma boa segunda etapa, abusou dos erros nos três setores do campo. No ataque, Lucas Pratto perdeu três grandes chances, sendo uma clara ao cabecear sem ninguém o marcando. Não digo que sentiu o jogo contra sua ex-equipe, mas não costuma errar tanto assim na cara do gol. Seu parceiro Wellington Nem manteve os já tradicionais 0% de produtividade e saiu no intervalo. No meio-campo, Jucilei continua jogando por ele e por todos os que estão ao seu redor e Cueva pareceu mais condicionado que nos últimos jogos. Quis mais bola e mostrou vontade, mas em compensação Cícero continua dando passes de lado e fugindo da responsabilidade nas partidas. Se Araruna estiver 50% bem, pode botar para jogar.

 

Agora a defesa, essa precisa de uma atenção maior no post. Maicon murchou desde que perdeu a braçadeira de capitão. Anda muito jururu e mesmo tirando algumas bolas no segundo tempo, não anda inspirando a confiança que inspirava nessa mesma época do ano passado. Militão errou muito neste domingo mas se compararmos com o histórico de Lucão, o jovem poderia ser chamado de “novo Darío Pereyra”. Aliás, Lucão é um caso a parte e espero que de uma vez por todas ele siga seu caminho em outra agremiação. Desejarei boa sorte, mas aqui no São Paulo não dá mais. É muita falha para um zagueiro. Acompanho ele em campo desde 2013 (fui na Copa Audi, ‘sua estréia’) e de lá para cá, salvo exceções, cada jogo é uma lambança. Hoje a ironia na entrevista pós-jogo pode ter selado sua história no Tricolor. Pode sair e virar o Baresi mas aqui não conseguirá.

 

Para piorar, a tabela é cruel: Atlético Paranaense na arena que nunca vencemos, Fluminense em casa e Flamengo na Ilha do Governador. Se os reforços não vierem e as mudanças não forem feitas com a entrada de jogadores mais qualificados que Nem, Cícero e Lucão, poderemos esperar muita tormenta nos próximos dias.

 

Nota dos personagens da partida:

Renan Ribeiro Sem culpa nos gols. Uma grande defesa. Nota: 8,0

Marcinho Um dos melhores em campo, até. Gol merecido. Nota DEZ!

Militão Mal na defesa. Substituído no meio da segunda etapa Nota: 4,0

Maicon Não anda inspirando confiança. Parece desanimado. Nota: 4,5

Lucão Uma falha e uma entregada. Dois gols para o adversário. Nota: 1,0

Junior Bom segundo tempo, saindo mais para o jogo. Nota: 6,0

Jucilei Regular, como sempre. Joga por dois. Nota: 8,0

Cícero Mais um jogo insuficiente. Erro e Ceni na contratação. Nota: 4,0

Cueva Melhor preparado e mais ambicioso, mas ainda errando muito. Nota: 5,5

Lucas Pratto Perdeu chances que não costuma perder. Nota: 4,5

Wellington Nem Mais uma vez um cemitério de jogadas. Banco! Nota: 3,0

Thiago Mendes Sua entrada melhorou a equipe. Nota: 6,0

Bruno Fraco jogo pelo lado direito. Nota: 4,5

Gilberto Pouco tempo em campo. Sem nota.

Rogério Ceni Tomamos um gol muito cedo e o time demorou a recuperar o jogo. Sua mudança na segunda etapa tornou o São Paulo melhor e, até o erro da defesa, media forças com o Galo. Seu grande erro é insistir em Wellington Nem, Cícero e Lucão, mas não pode levar a culpa sozinho. Cadê o elenco para ele trabalhar? Nota: 5,5

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.