Search Results For : Temporada 2019

Cuca: “O São Paulo de hoje está mais parecido com aquele time do Cilinho”

O técnico Cuca concedeu entrevista coletiva no início da tarde desta terça-feira, logo após o treinamento do Tricolor no CT da Barra Funda. Entre outros assuntos o treinador falou sobre Hernanes, Liziero e o perfil da final do Campeonato Paulista.

 

Sobre Hernanes, nas entrelinhas Cuca admitiu que o jogador não pode jogar a partida toda e deixou em aberto se o meia jogará desde o início ou entrará em campo durante a final. Cuca também falou sobre Liziero e disse esperar o treino de sábado para definir a participação ou não do volante. “Se a partida fosse amanhã, ele não jogaria” – disse ele.

 

O treinador reconheceu o jogo estudado de domingo. “Pode acontecer uma surpresa aqui ou ali”– disse ele. Porém, Cuca apontou os três últimos clássicos para mostrar que dificilmente haverá imposição de um time sobre o outro. “Jogamos, no mínimo, de igual para igual as três últimas partidas”. – concluiu.

 

Uma coisa que me chamou a atenção foi a comparação feita por Cuca ao ser perguntado sobre a equipe que formou em 2003: “Esse time está mais parecendo aquele do Cilinho lá de traz” – disse, em relação a equipe ter muitos jovens em campo.

 

O São Paulo enfrenta o Corinthians neste próximo domingo às 16h, em Itaquera.

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Luan, o indispensável!

O São Paulo enfim está com a cara que a sua torcida tanto desejava. Uma equipe com essência jovem, que conta com jogadores de sua base vencedora no time titular. Mas, enquanto as atenções estão mais voltadas aos ofensivos Antony e Igor Gomes, um outro jogador aos poucos vem solidificando de vez sua importância no São Paulo de 2019: o volante Luan.

 

Os números e a regularidade do garoto quando está em campo pelo Tricolor são impressionantes. O atleta, que estreou entrando em campo na vitória do São Paulo sob o Corinthians por 3×1 e apareceu no time titular com uma bela apresentação na vitória do São Paulo sobre o Cruzeiro no Mineirão em 2018, realiza uma função primordial na equipe de Cuca. É ele que cuida da proteção aos zagueiros e forte marcação nos meias criativos dos adversários durante os noventa minutos de jogo. Um verdadeiro motorzinho em campo.

 

Luan não chega constantemente ao ataque mas o seu constante trabalho ajudou o Tricolor a contar com um sistema defensivo forte ao longo deste início de ano. Sua ausência no início da temporada (estava na seleção brasileira sub20) foi muito sentida, principalmente nos jogos da Libertadores. Podem reparar: mesmo com 19 anos, o jogador dificilmente oscila em campo.

 

Diante de tantas estrelas do meio para frente, como Hernanes, Pato, Tchê Tchê e Pablo, é Luan que eu considero indispensável no meio-campo da equipe. O volante deve ter o mesmo futuro brilhante que Casemiro, outra prata da casa Tricolor.

 

O marcador tem contrato com o clube até dezembro de 2022.

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

São Paulo correria risco de perder Cuca se não antecipasse contratação

A contratação de Cuca como técnico do São Paulo dividiu a opinião de jornalistas e torcedores no momento em que foi anunciada, em meados de fevereiro. Isso porque o técnico só pôde assumir o comando técnico do Tricolor no dia 02 de abril, quase dois meses após o anúncio.

 

Porém, a decisão se mostrou uma decisão acertada devido a movimentação natural do mercado de treinadores brasileiros. Se o Tricolor não tivesse garantido a vinda do técnico em fevereiro, correria  sério risco de perder Cuca para clubes que oscilam na temporada, como é o caso do Atlético MG. O Galo demitiu Levir Culpi no último dia 11 após a goleada sofrida pelo Cerro Porteño e, hoje, provavelmente não mediria esforços para contar com o treinador que deu a ele o maior título da sua história: a Libertadores de 2013. Com a contratação antecipada, o Tricolor freou qualquer possível interesse de outros clubes a esta altura da temporada.

 

Vale lembrar que, enquanto Cuca se recuperava do problema cardíaco que teve, Vagner Mancini assumiu o cargo interino e realizou uma boa transição, inserindo jovens valores e mudando o perfil de jogo da equipe. O São Paulo atualmente conta com uma equipe leve e promissora não somente para a final do Paulista como também para o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil.

 

Ao contrário dos primeiros catastróficos meses, a previsão de desempenho para este São Paulo, futuramente recheado de Pato, Tchê Tchê e Vitor Bueno, é bastante otimista.

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Liziero: o novo Pedrinho?

Mais uma vez uma lesão muscular tira Liziero de um jogo pelo São Paulo.

 

O polivalente volante (também joga como meia e lateral esquerdo) convive com contusões desde sua subida ao profissional. Nesta primeira partida da final do Campeonato Paulista, a história se repetiu: Liziero sentiu um incômodo na coxa e deu lugar para a entrada de Everton no meio-campo, com Carneiro responsável pelo comando de ataque. O atleta já ficou de fora de alguns jogos do estadual quando se contundiu na derrota Tricolor diante do Guarani, no Pacaembú.

 

O histórico de lesões de Liziero lembra o meia Pedrinho, jogador que fez fama no Vasco da Gama nos anos noventa e atuou até 2013, encerrando a carreira no próprio clube cruzmaltino. O jogador conviveu a carreira toda com lesões por conta de um desequilíbrio no quadril. Em entrevista a ESPN, o ex-atleta disse que uma parcela de culpa de suas lesões cabe a si próprio, pois ele fazia uma carga superior de treinos a que seu corpo suportava, e, por muitas vezes, chegava a esconder suas dores para poder jogar.

 

A nova lesão de Liziero aparece em um dos melhores momentos da sua carreira. O jovem liderou o meio-campo nos últimos jogos, atuando com destaque contra o Ituano em Itu (foi ele o autor do vol da vitória Tricolor) e nas partidas diante do Palmeiras pela semifinal do estadual. Sua falta foi muito sentida na primeira partida da final do campeonato, no último domingo e a previsão para a volta em Itaquera é pessimista. Lesões musculares são de tratamento longo em comparação a traumas por pancadas.

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

OPINIÃO São Paulo 0x0 Corinthians

São Paulo e Corinthians não saíram do zero na primeira partida das duas que marcarão a final do Campeonato Paulista de 2019. Apesar do placar virgem, o Tricolor mais uma vez mostra que o crescimento na reta final do campeonato não foi obra do acaso.

 

O jogo foi bom, principalmente pela pró-atividade do São Paulo. Amparado por praticamente sessenta mil apaixonados torcedores, a equipe de Cuca teve o domínio das ações em campo e doutrinou seu estilo de jogo os noventa minutos de bola rolando. Faltou capricho nas finalizações, principalmente no segundo tempo. É importante dizer que a equipe sentiu muito as faltas de Pablo e Liziero. Ambos dão dinâmica e sustentação ao time do meio para frente. Everton, o suplente do meio, já atuou por lá no início da carreira e mostrou um jogo aguerrido, mas não é a mesma coisa. Já o ataque com Carneiro ficou refém de finalizações a gol. Para complicar, Antony não fez uma daquelas suas partidas e Cuca justificou no pós jogo a sua condição debilitada. Mesmo com todos os problemas a equipe jogou com velocidade pelos lados e complicou bastante a vida do adversário, bem armado na defesa como é o seu padrão. Tiago Volpi não sujou o uniforme. Faltou capricho final para o Tricolor abrir o placar.

 

O resultado não foi aquele esperado (ou previsto) pela maioria dos torcedores, mas foi normal. Anormal é alguém entender que bola batida no braço de jogador dentro da área, mesmo revista pelo VAR, não é pênalti. Pior: o mesmo árbitro que não deu a infração neste último domingo no Morumbi não titubeou para dar um pênalti nas mesmas condições, a favor do adversário em Itaquera. Ele é fraco demais e sempre, sempre pró adversário. É só puxar a sua capivara.

 

Apesar de não ter saído em vantagem no placar, acredito que o São Paulo tem todas as condições de se sagrar campeão em Itaquera. O adversário jogará mais a frente em sua casa, abrindo espaços para os velozes atacantes Tricolores. Nossa defesa é um dos principais pontos da equipe e, se não falhar, creio na conquista ainda nos noventa minutos, com ou sem VAR. É o São Paulo contra tudo e contra todos em mais uma decisão.

 

Tiago Volpi – Praticamente não se sujou. Nota: 6,5
Hudson – Fora de posição, mais uma vez tomou conta do setor. Nota: 6,5
Bruno Alves – Jogo simples, básico e eficiente. Nota: 7,0
Arboleda – Firme na defesa, quase se consagra com gol. Nota: 7,5
Reinaldo – Compôs bem a defesa e foi perigoso em cruzamentos. Nota: 6,5
Luan – Ótima partida, com desarmes e muito combate. Nota: 7,0
Everton – Não fez feio no meio-campo. Jogo aguerrido. Nota: 7,0
Igor Gomes – Abaixo das suas atuações mas presente. Nota: 6,0
Everton Felipe – Bom início. Caiu bastante na segunda etapa. Nota: 6,0
Carneiro – Batalhou mas não teve utilidade ofensiva. Nota: 5,5
Antony – Jogo abaixo da normalidade. Estava debilitado. Nota: 6,0

 

Hernanes – Time cresceu bastante com a sua presença. Nota: 7,0
Nene – Mostrou boa disposição, nada mais que isso. Nota: 6,0
Helinho – Pouco acionado e pouco eficiente. Nota: 5,5

 

Cuca – Mesmo sem Liziero e Pablo e ainda sem Hernanes na sua melhor forma física, o time imprimiu velocidade dos lados e dominou o adversário, imprimindo seu ritmo de jogo. O São Paulo cresceu na segunda etapa, com a presença do profeta. Apesar do empate em casa, a esperança de taça vem mais forte que nunca, mesmo em um local de (ainda) poucas alegrias do Tricolor. Nota: 7,0

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.