Search Results For : Tricolor

Tricolor mutilado na data FIFA

Nação do Maior do Mundo;

 

O São Paulo ficará sem quatro atletas durante o período de jogos das eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.

 

Rodrigo Caio foi convocado por Tite e integrará a seleção principal; Edgardo Bauza chamou o lateral Buffarini, velho conhecido; Cueva e Mena completam a lista, convocados respectivamente pelas seleções peruana e chilena.

 

Culpa nenhuma dos atletas, muito menos do clube. A CBF é a única confederação mundial que não interrompe o torneio nacional para jogos entre seleções. Sendo assim, enfrentaremos o Grêmio no Morumbi sem praticamente meio time.

 

O São Paulo pode pedir adiamento do jogo. Duvido que será atendido. O Atlético MG também teve quatro convocados na última data FIFA e não pôde fazer nada. Jogou em Itaquera sem Pratto, Cazares, Erazo e Rafael Carioca. A diferença é que o Galo tem elenco e está tranquilo na disputa do Brasileirão e da Copa do Brasil. O Tricolor não.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Convocação valoriza Rodrigo Caio e aumenta chances de boa negociação

Nação do Maior do Mundo;

 

Rodrigo Caio é a novidade na seleção de Tite para disputar os jogos contra a Argentina e Peru, nas eliminatórias para a Copa da Rússia. Desta maneira, o zagueiro não enfrentará o Grêmio no Morumbi, dia dezesseis de novembro às 21h no Morumbi, pelo Brasileirão.

 

Sem dúvida, é um prêmio justo para o que ele vem fazendo dentro de campo. Muito bem nas Olimpíadas, Rodrigo Caio mantém sua evolução na zaga Tricolor e é de longe o atleta mais valorizado da equipe nestes últimos meses. Como tem o perfil ‘tipo exportação’, depois dessa convocação certamente não deverá sair de futuras chamadas para a seleção principal, valorizando-se ainda mais.

 

Com a convocação para a seleção principal e o cenário de futuras chamadas, as chances do São Paulo fazer um negócio ainda melhor que as frustradas tratativas com Valência e Sevilla aumentam exponencialmente. O clube sabe que dependerá da venda do atleta “Made in Cotia” no fim do ano para montar uma equipe competitiva para 2017.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Tabelinha entre TRI Mundiais!

São Paulo x Ponte Preta Pouco mais de 16 mil ingressos foram comercializados até a manhã desta quinta-feira. Sinceramente, na minha opinião, certamente teremos muito apoio no Morumbi mas a adesão poderia estar maior. O clube baixou os preços das arquibancadas para módicos R$ 10,00. As cadeiras (setores que podem ser comercializados em bilheterias) também sofreram baixa de preços. A previsão é que de 30 a 35 mil Tricolores apoiem o time neste sábado a tarde.

 

Sem moleza! Jogo dificílimo diante da Macaca; talvez mais que contra Santos ou Flu. O motivo? A Ponte virá fechadinha, explorando os contra-ataques e é uma equipe muito leve do meio para frente. A grande arma do São Paulo será o seu torcedor, bombando os noventa minutos. Eu colocaria Wesley na lateral, fecharia a defesa com Rodrigo Caio e Douglas (ou Lyanco, se estiver melhor fisicamente), promoveria um meio-campo com João Schmidt, Thiago Mendes (mais adiantado) e Cueva e no ataque colocaria David Neres, Chavez e Kelvin.

 

De longe! A 3a Caravana Oficial das Embaixadas São-Paulinas acontecerá de 20 a 24 de outubro. Torcedores dos estados do Amazonas, Acre, Bahia, Espírito Santo, Maranhão, Paraíba, Rondônia, Rio de Janeiro, Roraima e Tocantins estarão por alguns dias na capital de São Paulo e assistirão o jogo contra a Ponte. É o maior número de Embaixadas envolvidas desde o início dos projetos.

 

Acerto! O desembargador José Carlos Ferreira Alves foi nomeado vice-presidente do São Paulo, no lugar de Roberto Natel, que entregou o cargo descontente com os rumos que Leco está dando ao clube. Decisão acertadíssima do nosso presidente: Ferreira Alves, que já foi diretor de futebol e presidente do Conselho Deliberativo, é visto pela maioria da coletividade tricolor como um apaziguador, com nome respeitado tanto pela oposição como pela situação. Conheço ele. É um cara extremamente são-paulino e do bem.

 

Ainda é cedo, Ceni! O São Paulo certamente contará com os serviços de um de seus maiores ídolos, mas não tão cedo como alguns veículos andam noticiando. Rogério está aprimorando ‘fundamentos’ do cargo de técnico de futebol na Inglaterra. Além do curso da Federação Inglesa, o Mito passa por diversos clubes, observando métodos e estruturas. Por acaso encontrei Rogério na semana passada, na festa de um amigo. Conversamos brevemente, porém intensamente. Ceni me disse que, dentre as estruturas que passou, a que mais chamou a atenção foi a do Liverpool. Nada a ver com o inesquecível jogo de 2005: o ambiente ‘histórico’ do Anfield o contagiou de uma forma muito bacana. Particularmente eu acredito no retorno do capitão no ano que vem, mas não como personagem principal do banco. Agora, se ele deveria treinar do clube que é ídolo, isso é outra conversa…

 

All In! Já imaginou jogar um dos maiores esportes do mundo em um doa maiores estádios de futebol do mundo? Foi inaugurada na noite da última quarta-feira o Pub&Poker, mais um espaço entre os camarotes do Concept Hall tricolor. Patrocinado pela Jack Daniel’s, o projeto é pioneiro entre os clubes brasileiros e une duas grandes paixões mundiais do esporte.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

OPINIÃO Fluminense 1×2 São Paulo

Nação do Maior do Mundo;

 

Enfim, uma vitória gigante, avassaladora e incontestável neste Campeonato Brasileiro. Com uma atuação de garra e organização, principalmente no segundo tempo, o São Paulo conquistou pontos improváveis no Rio de Janeiro e deu um salto enorme na perigosa tabela da morte: a do Z4.

 

A situação ainda é difícil, mas antes da vitória contra o Flu era dramática. Com apenas um ponto na frente do primeiro dentro da zona de rebaixamento, o Tricolor do Morumbi era o único grande que ainda não tinha demonstrado sintomas de recuperação. O clube não ganhava de ninguém a cinco jogos e a última vitória fora de casa tinha sido contra o Santa Cruz, ainda sob a batuta de Jardine.

 

O jogo começou com o São Paulo bem postado na defesa e tentando algum contra-ataque na base do lançamento e estava de bom grado até o Flu perceber que para ele era mais jogo ele, Flu, contra-atacar. Quando os times inverteram de proposta, veio o golaço de Wellington, fruto de uma bobagem monstra de Thiago Mendes no ataque. O volante perdeu uma bola fácil e expôs o São Paulo, como o Flu queria. Os demais jogadores não mataram a jogada e a defesa são-paulina demorou para perceber que atacante carioca estava cara a cara com Denis. Foi um pênalti fruto de raro talento, mas com uma grande colaboração do outro lado.

 

Com um a zero contra, todas as chances de pontos estavam reduzidas a quase zero. Rendido em campo até o apito do intervalo, o time ainda viu Cueva perder cara a cara um tento praticamente entregue pela zaga do Flu. Estava definido o cenário de terror e somente algumas mexidas ousadas e aplicação dos atletas poderiam inverter a improvável situação. E inverteram!

 

Gomes tirou o amarelado Buffarini, recuou Wesley para a lateral direita e colocou Kelvin em campo. Kelvin teve papel importante nos futuros gols tricolores mas o time só mostrou sinais de recuperação com a entrada do garoto David Neres, aberto pelo lado direito. Em sua estréia, Neres conseguiu feitos ainda inimagináveis nessa fraca equipe que temos: dois cruzamentos certeiros para a área.

 

Com mais organização, ímpeto e contando com o recuo do adversário, o São Paulo conseguiu o gol de empate e a improvável vitória com Thiago Mendes e Rodrigo Caio. Ouso dizer que, ao lado da “derrota” no Independência pela Libertadores, esse foi o jogo mais suado e vibrante do nosso time em 2016. É muito pouco para o São Paulo mas para quem estava (e na minha opinião ainda está – não pode bobear) com a corda no pescoço, o inesperado resultado deu mais que sobrevida. Deu esperança total num Morumbi cheio para mais uma vitória. A Ponte que se cuide.

 

Nota dos personagens da partida:

 

Denis Atuação normal. Nota: 6,0
Buffarini Muita dificuldade nos tempos que jogou. Amarelado. Nota: 5,0
Maicon Atuação segura ao lado de Rodrigo Caio. Amarelado. Nota: 6,0
Rodrigo Caio Gol decisivo e muita segurança na zaga. Nota DEZ!
Mena O segundo tempo foi uma das melhores atuações do chileno. Nota: 8,5
João Schimidt Melhorou no segundo tempo e deu qualidade de passe. Nota: 7,0
Thiago Mendes Bobeada, ótima 2a etapa e redenção com gol. Nota DEZ!
Wesley Muito bem na lateral direita. Muito aplicado. Nota: 7,5
Cueva A pior partida do meia peruano. Displicente em muitos momentos. Nota: 4,0
Róbson Atuação apagada. Substituído no intervalo. Nota: 4,5
Chavez Também com atuação apagada. Caída vertiginosa. Nota: 4,5
Kelvin Entrou e participou dos dois gols. Nota: 7,5
David Neres Para mim quem incendiou o jogo para o lado do São Paulo. Nota: 9,5
Pedro Fez mais que Chavez. Nota: 6,5

Ricardo Gomes Suas mexidas contribuíram decisivamente para a vitória. Nota: 9,0

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

 

Bem-vindos, irmãos Tricolores!

Nação do Maior do Mundo;

 

Bem-Vindos! Finalmente retomamos as atividades normais, desta vez com uma casa diferente e um layout diferente. Ainda estou apanhando um pouco no na programação mas já já a coisa andará que vai ser uma beleza!

 

Para quem me conhece apenas do Globoesporte.com, um brevíssimo histórico. Iniciei minha história com o São Paulo no dia 26 de abril de 1981. Aquela histórica semifinal do Brasileirão da época não sai de minha memória até hoje. O Morumbi estava abarrotado e lembro muito bem dos túneis de acesso a arquibancada completamente entupidos. Assisti o jogo todo na entrada de um deles, nos ombros do meu pai, que não viu porcaria alguma do jogo mas acompanhava a minha vibração com Serginho Chulapa, Darío Pereyra, Zé Sérgio e principalmente Éverton, autor de dois dos gols da vitória Tricolor. Pode-se dizer que foi naquele dia que comecei também a vida de comentarista, e meu pai foi meu primeiro ‘seguidor’.

 

De lá para cá foram muitas emoções, alegrias e tristezas, mas sempre ao lado do meu clube de coração e do coração de muitos. Passei pelo Portal SPNet, que além de uma das primeiras comunidades de torcedores foi uma ‘escola’ para mim. De lá fui para o Globoesporte.com, onde fiquei por nove anos. O canal é um canhão e desenvolveu meu ritmo de escrita e apurou minha percepção sobre como falar de futebol. Para mim, textos técnicos e táticos são muito importantes para a formação da opinião de um leitor, mas nenhum deles se compara a leitura de um texto emotivo, apaixonado sobre um jogo de bola. O torcedor é a razão de tudo e nada mais justo que ele participar do dia a dia do mundo do futebol. As redes sociais permitem que qualquer um dê sua opinião, que será chancelada ou descartada no dia a dia, diante do público.

 

Pois é isso. Chega de lero-lero e vamos que vamos ao que interessa. Obrigado a todos vocês que acompanham este meu espaço. Prometo como sempre dar minha opinião isenta e informar o que acontece nos bastidores do clube sem pender a nenhum lado. Somos todos São Paulo Futebol Clube e à partir de hoje este espaço será de todos nós.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.