E-Consulters Web - Hospedagem Premium

Search Results For : Base

Lucas Sena: aquele abraço!

O lateral direito Lucas Sena, da base Tricolor, não renovará o seu vínculo com o São Paulo. Segundo o GE.com, a negociação se complicou desde 2020, quando o staff do jogador não aceitou a proposta de oferecida pela antiga gestão. Ainda segundo o portal, a atual gestão manteve a proposta e à partir daí não houve mais negociação.

 

O lateral, com 20 anos, é uma das promessas do setor e até se pronunciou nas redes sociais sobre querer permanecer no clube que o formou mas a proposta foi considerada insatisfatória pelos seus representantes. Seu destino deverá ser a Europa.

 

Coisas do futebol. Não tem como para acertar salário e luvas profissional com todo jogador que sai da base e, apesar de achar ele um bom jogador, ainda não mostrou no elenco de cima o que jogou na base do clube. Sem dramas, sem rancores: a situação é bem diferente de Diogo que em 2010 entrou na justiça para se desvincular do São Paulo e teve seu pedido negado pela justiça. Simplesmente a vontade de uma parte era diferente da vontade da outra.

 

Segue o jogo e Lucas… aquele abraço. Boa sorte na carreira!

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Cargo de Zetti em Cotia é um acerto!

Armelino Donizetti Quagliato, um dos maiores ídolos do São Paulo, foi novamente anunciado pelo clube na tarde desta quinta-feira. O ícone assumiu a coordenação geral dos goleiros da base tricolor, em Cotia.

 

Que filme passou pela minha cabeça após assistir o vídeo do craque do gol de volta ao clube que o consagrou. Zetti veio para o São Paulo pela primeira vez após ser dispensado pelo Palmeiras e em recuperação de uma grave fratura no pé. Disputou posição com Gilmar, outro grande goleiro, e ganhou quase tudo com a camisa Tricolor: Mundiais 1992 e 1993; Taças Libertadores da América 1992 e 1993; Supercopa da Taça Libertadores 1993; Recopas Sulamericana 1993 e 1994; Copa Master Conmebol 1996; Brasileiro de 1991 e Paulistas de 1991 e 1992.

 

Confesso que chorei ao ver o vídeo da SPFCtv. Confesso que Zetti é minha maior referência técnica quando se trata da posição. Foi impecável nos fundamentos. Incrível embaixo das traves, nas bolas aéreas e milagroso no “um contra um”. Só não era tão bom com os pés porque naquele tempo não se pensava tanto nisso e pela felicidade do destino, seu sucessor simplesmente mudou a posição de patamar. Mesmo assim Zetti acertava ótimos longos lançamentos com os pés e, principalmente com as mãos.

 

Quem não viu Zetti jogar não tem a real dimensão do que esse cara de Porto Feliz fez pelo São Paulo.  O ídolo será o responsável por liderar os preparadores de goleiros de todas as categorias da formação de atletas do Tricolor. Seu cargo não será diretivo como o de Raí, nem executivo como Lugano ou em campo como Alex: Zetti observará regularmente as atividades dos goleiros e trará análises, conselhos e a experiência ímpar. O cargo é parecido com o de Muricy e Milton Cruz.

 

Assim como Muricy na coordenadoria da Barra Funda, Zetti um grande e emocionante acerto do Tricolor. Em Cotia, Zetti será preservado da dura linha de frente do futebol e a relação de idolatria por parte do torcedor tende a se manter intacta!

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Comprador, RB Bragantino ‘salvará a lavoura’ do São Paulo em 2021

Segundo o GE.com, O São Paulo aceitou a proposta do Bragantino por Gabriel Novaes e venderá 70% dos direitos econômicos do atacante ao clube do interior do estado. Gabriel atualmente joga pelo Bahia.

 

As cifras não foram reveladas e estou apurando os valores, mas certamente eles serão maiores que os U$ 2 milhões de dólares (cerca de R$ 11,4 milhões) oferecidos pelo Urawa Reds, do Japão em março. A proposta japonesa fora recusada pelo Tricolor.

 

Destaque da base campeão da Copinha de 2019, Gabriel Novaes nunca pisou no profissional do São Paulo. O atacante passou por Barcelona B, Córdoba e Juventude até chegar ao Bahia. Muricy havia confirmado a intenção de observar o garoto no clube de salvador mas a oportunidade de venda, aliada ao já conhecido (pelo clube) péssimo histórico de extra-campo do jogador e a necessidade de caixa foram determinantes para o encaminhamento para o Red Bull Bragantino.

 

O clube de Bragança também deverá exercer a compra de Helinho. A situação de compra do clube do interior é estranha para muitos e inverte a lógica do “grande/pequeno” mas o fato é que a futura venda de Helinho, somada a já venda consumada do lateral Weverson e o iminente negócio envolvendo Gabriel Novaes salvarão a lavoura do Tricolor em 2021. Estimo eu que juntos, os três negócios se aproximem de R$ 50 milhões aos cofres do clube, aproximando-se muito da meta de R$ 176 milhões em vendas neste ano. Detalhe: o Tricolor manterá porcentagens dos três jogadores.

 

Vale lembrar que a venda de Brenner ao FC Cincinatti será contabilizada nessa meta.

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Apresentação com décadas e décadas de atraso mas… boa sorte, Alex!

O São Paulo apresentou o seu novo treinador para o Sub-20. É Alex, ex-camisa dez do Cruzeiro e Fenerbahçe. O profissional assinou por duas temporadas e terá como primeiro desafio na carreira de treinador o principal elenco das categorias de base do Tricolor.

 

A apresentação, feita no Cícero Pompeu de Toledo, começou com algumas décadas de atraso. Talentoso dentro das quatro linhas, Alex deveria ter jogado no maior clube que leva com orgulho o nome da cidade e do estado. Quis os deuses do futebol que isso não acontecesse em campo.

 

O primeiro desafio ‘tangível’ de Alex na temporada é o Campeonato Brasileiro da categoria, previsto para início no fim de junho. O ex-jogador resolveu se instalar no Centro de Formação de Atletas Laudo Natel para se ambientar com o grupo, com a estrutura e começar a colocar seu trabalho em prática.

 

Vale dizer que uma das ideias de Muricy no cargo de Coordenador é formar um sucessor, tal qual ele foi com Telê Santana. Alex é um desses candidatos é Alex. O jovem treinador tem cursos de certificação e potencial para ir em frente na carreira. Espero que dê certo e que o ex-camisa dez coloque o talento que teve em campo fora dele.

 

Toda sorte a você, Alex.

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Se o Éder jogar um terço do que jogou Müller, o São Paulo sairá da fila!

O atacante Eder vestiu pela primeira vez a camisa #1 do São Paulo. Antes da apresentação, o jogador repetiu o ritual de Crespo, Orejuela, Miranda e Bruno Rodrigues e fez uma tour pelo sagrado Morumbi acompanhado de um monstro do futebol: Müller.

 

O ex-camisa sete do Tricolor dos anos oitenta e noventa esteve no Cícero Pompeu de Toledo ao lado do presidente Julio Casares e reviveu momentos de glória, inclusive sendo presenteado com a nova camisa deste ano.

 

Sou suspeitíssimo para falar do Luís Antônio Corrêa da Costa. Cresci no cimento aparente da arquibancada do Morumbi assistindo Müller jogar, desde seu début em 84. No ano seguinte, ele explodiu com os “Menudos” de Cilinho, que de meninos mesmo só tinham ele, Silas e Sidney. Era um gênio com a bola nos pés.

 

A aparição de Müller no estádio Tricolor me fez lembrar dos jogos vazios de Campeonato Paulista, quando ainda criança ia com meu pai e antes da partida perguntava e ele se o São Paulo iria ganhar o jogo. Meu pai esperava Müller aparecer na escalação do telão monocromático do Morumbi e me falava, quase automaticamente: “Müller vai jogar, então o São Paulo vai ganhar”.

 

E o São Paulo ganhava. Com Müller em campo o clube faturou os Campeonatos Paulistas de 1985, 1987, 1991 e 1992; os Campeonatos Brasileiros de 1986 e 1991; as Copas Libertadores da América de 1992 e 1993; os Mundiais de 1992 e 1993 e, finalmente, a Supercopa da Libertadores da América de 1993.

 

Sei que há muitas críticas a ele depois que atuou pelos rivais, mágoa pelo grande jogo que fez na final da Copa do Brasil de 2000 e agora, como comunicador na Gazeta. Mas eu me atenho a tudo que ele entregou em campo pelo São Paulo.

 

Müller, para mim, foi um dos três maiores atletas que vi jogar pelo clube e digo mais: se Éder jogar um terço do que Müller jogou vestindo a camisa do maior clube do Brasil, certamente o São Paulo sairá da fila.

 

Bela lembrança, bela escolha para receber Éder!

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.