Search Results For : História

Paolo Montero: “É preciso lavar a boca para falar de Lugano”

Nação do Maior do Mundo;

 

A frase acima é de Paolo Montero, um dos ex-jogadores de mais prestígio no Uruguai.

 

Na matéria do site Trivela, o ex-jogador do Peñarol, Atalanta e Juventus (ITA) e atual técnico do argentino Rosario Central, foram abordados diversos assuntos relacionados a seleção uruguaia. Um dos assuntos foi Lugano. Montero destacou a história vencedora e o profissionalismo do zagueiro campeão da Libertadores e Mundial pelo São Paulo. “Lugano é um animal, um ganhador nato.” – disse ele, valorizando o trabalho deixado pelo ex-capitão da seleção celeste.

 

Veja a matéria de Paolo Montero na integra no site Trivela.

 

É um bom momento para tratarmos o ‘caso Lugano’, e serei tão direto como o histórico carrinho no Gerrard em Yokohama: o São Paulo precisa renovar o contrato do uruguaio, ídolo da torcida e um dos líderes do elenco. Não falo só pela história (até porque Lugano está em fim de carreira), mas também pelo momento. Apesar de não figurar entre os titulares, o atleta não decepcionou quando esteve em campo, a não ser quem achava que veria o Lugano de dez anos atrás. Ele ainda faz o arroz com feijão com competência (leia-se: sem lambanças) e tem ajudado bastante no backstage, isso é, na transição Cotia/Barra Funda ao lado de Rogério e a comissão técnica. Com sua experiência, Lugano ajuda os jovens a se posicionarem melhor nos treinos e isso é quase tão importante quanto uma eventual presença em campo. Pagamos caro, mas temos um ‘professor de luxo’ ainda em ativa na Barra Funda.

 

Profissional e vencedor como Paolo Montero fez questão de ressaltar, Lugano ainda tem lenha para gastar, seja dentro de campo ou fora dele. Leco disse que provavelmente renovará o contrato do jogador, se estiver na presidência. Não sei se o clube está trabalhando essa renovação, mas Lugano deve fazer carreira no clube, tal qual Rogério e Pintado.

 

Um patrimônio da raça, glória e profissionalismo.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

São Paulo x Palmeiras: a maior rivalidade da cidade de São Paulo!

Nação do Maior do Mundo;

 

Se existe um jogo na cidade de São Paulo que possui reais contornos de rivalidade, daquelas que o ‘ódio esportivo’* se aproxima (mesmo que de leve) ao de grandes embates futebolísticos no mundo, como Rangers e Celtic ou Fenerhbace e Galatassaray, esse jogo é São Paulo x Palmeiras.

 

Quem não concorda? Corinthianos e alguns palmeirenses (e são-paulinos) mais jovens, mas a velha guarda ou aqueles que conhecem a história do futebol paulista aprovam o título do post. O “Choque-Rei”, apelido dado ao clássico de quase noventa anos de história, por um bom tempo ultrapassou a esfera esportiva e se tornou caso de segurança nacional. Durante a Segunda Guerra Mundial, quando o então Palestra Itália foi obrigado a trocar de nome para Palmeiras, os antigos palestrinos acusaram (e acusam até hoje) dirigentes do São Paulo entre os que mais pressionaram as autoridades para que o rival mudasse de nome, respeitando a legislação nacionalista vigente na época. Deu para sentir a tensão?

 

São Paulo e Palmeiras são rivais desde o primeiro jogo (um 2×2 no Palestra Itália em 1930), mas o auge de sua rivalidade aconteceu entre 1942 e 1950, período em que São Paulo e Palmeiras dividiram os nove títulos paulistas disputados. Foram cinco títulos do São Paulo (1943, 1945, 1946, 1948 e 1949) e quatro do Palmeiras (1942, 1944, 1947 e 1950). De 1930 para cá, o confronto só não foi realizado em um único ano, por culpa exclusiva dos palmeirenses: em 2003 o alvi-verde foi rebaixado e não tivemos o prazer de enfrentá-lo. Segundo levantamento histórico do clube, o Tricolor possui vantagem no embate, além de uma recente enorme invencibilidade no Morumbi, mas ainda não ganhou na arena nova.

 

Hoje as coisa mudaram e a rivalidade foi amenizada pelas quedas do rival para a série B, mas quem viveu a época de ouro de Telê e Luxemburgo/Parmalat sabe como é gostoso ‘odiar o próximo’. Falando do jogo de sábado (péssima data, Choque-Rei tem que ser domingo), o São Paulo vem no embalo de uma equipe em formação, com um técnico novo, com identidade ofensiva e a procura de títulos enquanto que o Palmeiras, campeão brasileiro de 2016, está com a cabeça voltada mais para a Libertadores e ainda tenta encaixar seu novo técnico ao grande plantel que possui. Além do São Paulo, o Palmeiras tem jogo pela competição sul-americana no meio da semana e mais um clássico, na Vila Belmiro. Perder para o Tricolor e uma má jornada nos dois próximos jogos pode até ocasionar a demissão de Eduardo Batista.

 

O São Paulo recentemente viveu momentos semelhantes aos do rival. Campeão Brasileiro em 2006, 2007 e 2008, o Tricolor teve que conviver com a Libertadores no meio dos torneios nacionais e estaduais e sempre teve problemas. Ceni terá o ABC em Natal e o Ituano no outro sábado, confrontos teoricamente mais leves, portanto a missão, por mais difícil que seja, é ir com a melhor formação e tentar a vitória. Independente do resultado, prevejo um clássico franco como foi na Vila, onde o Tricolor se deu bem. A confiança no grupo de Ceni é grande.

 

Que venha o Porco, tão ‘querido’ e tão ‘odiado’, mas sempre um grande adversário.

 

* Ódio esportivo = rivalidade acirradíssima apenas dentro das quatro linhas do gramado, favor não confundir com violência, apologias e afins.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Raí poderá fazer parte do novo Conselho Administrativo do São Paulo

Nação do Maior do Mundo;

 

Notícia em primeira-mão: Um dos maiores ídolos do São Paulo poderá ocupar um importante cargo no clube. Raí, ex-camisa dez do clube foi convidado por Leco para fazer parte do Conselho Administrativo do Clube, caso o atual presidente seja eleito. Ele antecipou a Leco que aceitará o cargo.

 

O possível retorno de Raí ao São Paulo poderá reparar um erro grave cometido em 2002 após a vitória de Marcelo Portugal Gouvêa nas eleições presidenciais daquela época. Convidado para ser Coordenador Técnico do Tricolor pelo novo presidente, Raí saiu dias depois do cargo e voltou as suas atividades extra-São Paulo. Não houve explicação oficial na época sobre o abandono do cargo. Curiosamente Leco foi diretor de futebol de MPG na época.

 

Aprovo totalmente o “conselheiro Raí”, independente de lado político: Raí, além de uma das figuras mais populares entre os torcedores, é extremamente bem sucedido no mundo corporativo e do terceiro setor. Além de fundador da Fundação Gol de Letra, é sócio de diversos empreendimentos como um Bar ‘upscale’ no centro da capital paulista, um cinema inspirado no “Eletric” de Londres e um camarote corporativo no estádio do Morumbi. Além disso, é comentarista de um dos programas mais interessantes da ESPN: o Resenha. Nem é preciso falar que Raí é uma pessoa íntegra, inteligente e que conhece o clube dentro e fora de campo, além de torcer pelo São Paulo, algo fundamental para mim.

 

Segundo o Globoesporte.com, o Conselho de Administração, premissa do Novo Estatuto, será composto por nove pessoas: presidente e vice, quatro integrantes escolhidos pelo presidente, dos quais três necessariamente precisam ser independentes, dois membros escolhidos pelo Conselho Deliberativo e um último do Conselho Consultivo. ele definirá as diretrizes e prioridades macro da gestão, como aprovação de contratos e definição de orçamento, entre outros. De acordo com o Novo Estatuto, haverá ao menos uma reunião mensal para acompanhar o andamento da gestão. O Conselho não participará das decisões do dia a dia, como por exemplo definição de um novo treinador ou contratação de um jogador.

 

Procurei a coordenação da campanha de Pimenta e não consegui nenhuma indicação de nome para o post. Segundo a coordenação, o candidato da oposição não está distribuindo nem prometendo cargo antes da hora.

 

Complemento: o artigo 99 do Novo Estatuto no seu parágrafo 11 diz que a indicação dos Conselheiros Independentes pelo Presidente Eleito e as respectivas remunerações deverão ser aprovadas pelos membros não independentes do Conselho de Administração, sendo admitido o voto do Presidente deste Poder. No caso de empate, o Presidente terá o voto desempate.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Já ‘holandês’, David Neres comemora vitória do São Paulo em Amsterdam

Nação do Maior do Mundo;

 

David Neres, novo contratado do Ajax, comemorou a vitória do São Paulo diante do Santos na Vila Belmiro na última quarta-feira. Ao lado de amigos, o atacante vibrou em especial com a atuação de Luiz Araújo, seu companheiro de base.

 

Veja a comemoração no Facebook SPFC Web.

 

David Neres apareceu pela primeira vez com o uniforme do Ajax nesta sexta-feira, no Twitter oficial do clube. Foi tratado como contratação de peso pelos holandeses, com direito até a cobertura da chegada no CT, apresentação, embaixadinha e “Bem vindo” na língua local.

 

A transferência foi a terceira maior na história do Tricolor, atrás apenas do meia Lucas e do atacante Denílson. Lucas foi vendido em 2012 para o PSG por 108 milhões de reais, enquanto Denílson foi para o Real Betis, em 1998, por 65 milhões, proporcionalmente a contratação mais cara de todo o futebol naquela época.

 

Fonte: Facebook SPFC Web

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Rogério Ceni: DNA vencedor, dentro e fora de campo!

Nação do Maior do Mundo;

 

Mais que o anúncio da incorporação maciça da base, mais a preparação num dos maiores centros esportivos dos Estados Unidos, mais que um título (ainda que de pouca expressão) em cima de um rival, mais que a artilharia do estadual, mais que a vinda de bons jogadores, mais que a chegada de Lucas Pratto, centroavante da seleção argentina. Mais que tudo isso, hoje o São Paulino comemora o início da volta de um DNA perdido há algum tempo: o DNA de um elenco com mentalidade campeã.

 

Essa filosofia é simbolizada na história de um personagem conhecido por todo o Brasil e boa parte do mundo do futebol. Rogério Ceni ganhou títulos, recordes e possui um dos currículos mais importantes do Brasil. Artilheiro, capitão e absolutamente obstinado pelo sucesso. A muitos incomoda, e para outros muitos é referência de trabalho e sucesso.

 

Não dá para cravar títulos no ano mas uma coisa dez para afirmar de bate e pronto: o elenco assimilou essa história de vida. Vemos até o momento um time dedicado dentro de campo, procurando aplicar o conceito de jogo de quem nunca foi técnico, mas que viveu muito tempo assistindo jogos de uma das posições mais ingratas e privilegiadas do futebol: a grande área. Prova disso é o time correr atrás do marcador contra Audax, Ponte e Santos.

 

Você pode achar exagero atribuir o sucesso atual a uma só pessoa mas o início da “era Ceni” como treinador animou a torcida e dá combustível para possíveis grandes vôos não somente em 2017 como nos próximos anos. A aquisição do M1TO no banco de reservas não pode ser tratada como manobra política e sim como movimento genuinamente são-paulino. Rogério é a personificação dos ideais do clube e seu sucesso é sucesso de todos que dirigem, trabalham e torcem pelo São Paulo Futebol Clube.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.