E-Consulters Web - Hospedagem Premium

Search Results For : História

Retornos e novidades!

O elenco do São Paulo continua no CT da Barra Funda para o período de testes e avaliações físicas. Porém, o elenco desta terça-feira está reforçado com três atletas singulares: Dani Alves, Carneiro e Paulinho Boia.

 

Dani Alves foi liberado para se reapresentar em julho juntamente com outros jogadores mas já está no CT e participa das atividades. O jogador não preocupa na parte física, já que tem um ótimo histórico de treinos e bom cuidado alimentar.

 

Já Carneiro volta de suspensão por doping e também está com o grupo para o primeiro estágio antes do retorno ao futebol. O centroavante terá que correr atrás do tempo perdido e provar que não é uma mera promessa do futebol uruguaio, como pintou em seu período de contratação. O atleta conta com o aval de Fernando Diniz.

 

O terceiro é Paulinho Boia. Depois de empréstimos junto ao Portimonense e São Bento, o jogador foi reintegrado ao elenco Tricolor, também sob aval de Fernando Diniz. Paralelamente a isso, o jogador discute com o clube prorrogação de contrato por mais dois anos. O atual vínculo termina em dezembro.

 

Com característica de drible e velocidade, Paulinho é um dos poucos atletas com o perfil semelhante a Antony, que se desligará em breve do Tricolor. Fernando Diniz deve testá-lo na posição, juntamente com os outros atletas. Boia era tido como grande promessa por Luiz Cunha, ex-diretor de futebol do Tricolor.

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Força, Fabuloso: o verdadeiro louco!

O atacante Luis Fabiano concedeu uma entrevista bem bacana no programa “Bola da Vez”, da ESPN. O jogador lembrou momentos da sua carreira e afirmou estar 98% pronto para jogar uns dez ou quinze jogos antes de encerrar a carreira.

 

“Depois de mais de dois anos parado, estou 98% recuperado. Tinha a expectativa de poder voltar, mas esse Covid me complicou.” – disse ele no programa. “O fim está próximo, bem próximo, até pela situação atual no mundo. Seria um sonho vestir a camisa do São Paulo pela última vez no Morumbi. Eu até sonho fazendo um gol no Morumbi e sinto falta até de tomar cartão amarelo. Mas se isso não acontecer, estou satisfeito com a minha carreira. Se o fim não chegou, está chegando, e estou preparado para novos desafios.” – completou ao longo do “Bola da Vez”.

 

Na minha opinião, seria maravilhoso contar com o Fabuloso no elenco em 2020. Não como titular mas participando do dia a dia com os mais jovens e eventualmente entrando em alguns momentos de jogos. Ele tem o DNA do São Paulo. Diferente dos trabalhadores Ceni ou Raí, mas sem dúvida um DNA insano que boa parte da torcida se identifica. A mesma opinião valeria para Dagoberto, mas este definitivamente encerrou a carreira.

 

Mas Luis Fabiano é um guerreiro da mesma linhagem que Ronaldo ou Romário. Faltou a ele um título importante na seleção para gerar essas comparações mas para boa parte da torcida do São Paulo não há dúvida: o Fabuloso foi um dos maiores que vestiu a camisa nove do clube. Serginho, Careca, Palhinha (como um verdadeiro falso nove), França e ele são referências na minha história como torcedor. O explosivo, o temperamental, o ‘matador de galinhas’, que inclusive recusou uma oferta milionária e irrecusável do rival, por gratidão e amor ao Tricolor.

 

Não se enganem, esse é o verdadeiro louco. O resto é marketing!

 

Dou toda força para um encerramento de carreira no São Paulo, em moldes adequados ao clube (quem sabe um contrato por produtividade?) e um apoteótico jogo de despedida, após o Campeonato Brasileiro, em 2022. Força, Fabuloso: não desiste da ideia, que dá!

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Mais um processo. Virou várzea?

O São Paulo enfrentará mais uma ação na justiça. Desta vez, a empresa Kirin Soccer entrou com ação na Justiça para cobrar estimados R$ 206 mil reais do clube por uma operação envolvendo o atacante Luís Fabiano, ainda na gestão Aidar. A notícia foi divulgada pelo jornalista Ricardo Perrone, do Portal UOL.

 

Resumidamente, a Kirin Soccer alega que em 2015 negociou a cessão do direito de preferência de compra do atacante com o Fenerbahçe. Segundo ela, o São paulo ficou de pagar 35 mil euros de comissão pelo serviço. Comissão não paga até os dias de hoje.  Por conta da pandemia, a Justiça não havia analisado o pedido de cobrança, que inclui juros e correção monetária.

 

Virou várzea? Processos, ações, acordos… um clube como o São Paulo, repleto de advogados em torno do poder, parece uma usina ilimitada de dinheiro. Enquanto a instituição padece por gestões anêmicas, conselho arcaico e falta de títulos, os trabalhos jurídicos parece que vão de vento em popa, tamanho o trabalho que os escritórios e advogados tem com casos envolvendo o Tricolor.

 

Não sou nenhum expert em advocacia; também sei que o futebol é um meio atribulado de nuances lícitas e ilícitas. Mas o que acontece com o clube nos últimos dez, quinze anos, é muito além da organizada visão que todos tínhamos do clube.

 

Não seria hora da nova gestão rever por completo esse setor?

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Bola das Olimpíadas é inspirada em mangá do ‘são-paulino’ Oliver Tsubasa

A bola que será usada nas Olimpíadas de Tóquio, no ano que vem, já tem cara e história. Ela é inspirada no mangá Capitão Tsubasa, de Yoichi Takahashi, idealizador e responsável pela aplicação dos personagens nos produtos.

 

A obra de Takahashi conta histórias de Oliver Tsubasa, um garoto japonês fanático por futebol. Um dos times que o personagem defende ao longo da carreira é o Brancos FC, uma equipe brasileira com o uniforme idêntico ao do São Paulo. O autor se inspirou em Musashi Mizushima, meio-campista entre as décadas de 1980 e 1990 e atualmente treinador de futebol da Universidade Kyushu, no Japão.

 

Musashi Mizushima deixou o Japão aos 11 anos para tentar se transformar em jogador de futebol no Brasil e ingressou nas categorias de base do Tricolor. Tornou-se profissional no clube, mas nunca disputou uma partida adulta com o manto sagrado. Ele ainda rodou um pouco por alguns clubes brasileiros antes de retornar para sua terra-natal, onde até hoje é ídolo de uma geração. Veja detalhes da bola (reprodução);

 

 

Nada mais justo que, em uma Olimpíada no Japão, a bola de futebol homenagear Tsubasa, grande ícone dos anos 80 do país. Além de tudo, a bola tem as cores do São Paulo. É linda!

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

San-São histórico: o dia que o Tricolor meteu 23 gols no Santos!

Dezoito de junho de 1944. A data é histórica para são-paulinos e santistas da velha guarda. Foi neste dia que o Tricolor aplicou a maior goleada da história do clube em um clássico entre os dois clubes. Em um só dia, foram 9 a 1 no profissional e 14 a 0 na rodada dos aspirantes.

 

Sim. Vinte e três gols num só dia, com um honroso tento contra.

 

Segundo o site oficial do São Paulo, o Tricolor começou a partida profissional em desvantagem. Aos 13 minutos, Soler bateu uma falta com precisão no gol de King. O gol fez o São Paulo acordar ePardal, empatou a partida aos 20 minutos, após passe de Tim. O jogo seguiu então parelho, até o ataque rival perder um gol incrível, com Ruy, cara a cara com o goleiro.

 

A partir daí só deu São Paulo. O Tricolor massacrou os santistas com gols de Pardal (mais um) aos 32 do primeiro tempo; Remo aos 37 do primeiro tempo; Tim aos 4 do segundo tempo; Luizinho aos 11 do segundo tempo; Tim (de novo) aos 16 do segundo tempo; Luizinho (mais um) aos 26 do segundo tempo; Sastre aos 33 do segundo tempo e Remo aos 44 da segunda etapa.

 

Outro detalhe sórdido: Joãozinho, goleiro do Santos, ficou marcado pela goleada e deixou o alvinegro no fim daquela temporada. Jogou pelo Jabaquara em 1945 e sofreu outra goleada do São Paulo, na maior goleada da história do Tricolor até hoje: 12 a 1.

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.