Search Results For : Opinião

Leco e Conselho: estudo São Paulo S/A precisa ser colocado em pauta!

Nesta segunda uma importante matéria foi publicada no Globoesporte.com Ela diz que o estudo sobre o São Paulo virar clube/empresa (São Paulo S/A) está pronto e engavetado nos corredores do Morumbi há mais de um ano. O texto questiona a transparência do clube na publicação de informações básicas e classifica o São Paulo como um dos clubes mais obscuros da primeira divisão.

 

O texto não poderia ser mais claro. Meu respeito e admiração pelo trabalho de Rodrigo Capelo, jornalista responsável pela matéria, se deu com os anos. O jornalista, especializado em em negócios do esporte que, como ele mesmo diz, tenta explicar por que clubes “vencem ou perdem”, tocou na raíz principal do problema atual do Tricolor: a insistência dos homens que comandam o São Paulo em retardar um assunto que pode salvar o clube nos próximos anos e até reconduzi-lo as glórias.

 

Leia a matéria do Globoesporte.com na íntegra.
(recomendado)

 

O estudo São Paulo S/A, encomendado pela Deloitte Touche Tohmatsu Limited (uma das maiores empresas do ramo no mundo), foi entregue aos mandatários do clube no ano passado. Segundo o que apurei, o plano foi direcionado para a avaliação de José Eduardo Mesquita Pimenta, adversário de Leco na última eleição e hoje um dos membros do Conselho de Administração, e está parado até hoje. Nem mesmo uma discussão sobre o tema está prevista no Conselho.

 

Na matéria, Capelo explica como funciona a S/A e como ela dá vantagem aos concorrentes do Tricolor. Cabe destacar a mim neste post a credibilidade que o clube ganharia no mercado com a mudança de tipo de gestão: com a transparência que uma S/A, patrocinadores viriam com mais frequência e a valores mais altos.

 

Leco foi eleito presidente com promessa de modernizar o clube sob o novo estatuto e não está cumprindo o que prometeu em campanha. É culpado ou no mínimo conivente com a situação atual do Tricolor. Não só ele como aqueles que estão em sua volta, principalmente no Conselho de Administração e os conselheiros. Muitos deles não tiveram acesso ao documento que propõe a S/A.

 

Leco, Pimenta e conselheiros: é hora de propor o debate sobre a S/A sem pensar nas pessoas e sim na instituição. Como já disse Rogério Ceni, o São Paulo sangra em relação aos concorrentes. A falta de glórias é reflexo diário da negligência de vocês em ao menos colocar a pauta em discussão.

 

A mudança do modelo de gestão no São Paulo é algo que defendo há anos no clube. Para mim, nenhuma outra atitude que não seja a discussão sobre a gestão clube/empresa solucionará o problema real do São Paulo Futebol Clube.

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

OPINIÃO São Paulo 0x1 Palmeiras

Três clássicos, três derrotas. Alguma novidade? O São Paulo até tentou medir forças mas foi derrotado pelo Palmeiras no Pacaembú e coloca em risco a classificação para a fase final do Campeonato Paulista 2019.

 

Sem Bruno Alves, Mancini colocou a equipe em um 4-3-3, com Pablo e Hernanes marcando a saída de jogo do Palmeiras. Deu certo no primeiro tempo, o time conseguiu anular o jogo do adversário e, aos trancos e barrancos, arriscou alguns lances no ataque. Apesar dos tiros fora da meta palmeirense, a aplicação tática e a vontade dos atletas se sobressaíram ao melhor elenco do rival nos quarenta e cinco minutos iniciais. Alguns se arriscaram a dizer que foi o melhor primeiro tempo do ano.

 

Veio a segunda etapa e, com ela, a realidade nua e crua que marca o São Paulo em 2019. Bastou um dos melhores do time em campo se lesionar no início do segundo tempo que o castelo de areia do Tricolor se esfacelou por completo. Sem Hernanes, os são-paulinos assistiram um golaço de Carlos Eduardo (daqueles que o atleta nunca mais fará na vida) e a entrada de jogadores que não mudam e provavelmente nunca mudarão jogos. O jogo literalmente acabou no gol palmeirense e os protestos puderam ser ouvidos por todo o estádio. Foi literalmente como um amigo me disse no início da partida: se não fizermos ao menos um gol, perdemos o jogo. Não fizemos e perdemos.

 

Fim de jogo e zero pontos nos três jogos contra os grandes rivais. A culpa não é de Brenner, Léo Pelé e Everton Felipe, jogadores que entraram na segunda etapa nos lugares de Hernanes, Luan e Reinaldo. O elenco do São Paulo deu uma mostra clara e límpida de fraqueza. O presidente Leco e os poucos conselheiros que compareceram ao jogo foram duramente criticados após o gol de Carlos Eduardo e na saída do estádio. O torcedor não aguenta mais a situação criada por todo esse circo amador.

 

A chance de não classificação do Tricolor para a fase final é iminente. Será mais uma vergonha a ser passada por um clube que se acomodou com o excesso de louros e títulos em sua gloriosa história. Confio muito no trabalho de Cuca, mas ele precisa de reforços para o ataque e o meio-campo. Já o clube precisa de dirigentes, conselheiros e presidentes dignos da sua camisa.

 

Nota dos personagens da partida:

 

Tiago Volpi – Partida regular. Sem culpa no gol. Nota: 5,5
Igor Vinicius – Gostei da atuação do menino. Nota: 6,0
Arboleda – Melhor do SPFC. Evitou gol feito de Ricardo Goulart. Nota: 7,5
Anderson Martins – Estabanado, errou muitos passes. Nota: 4,0
Reinaldo – Mais perigoso na cobrança de lateral que com a bola no pé. Nota: 4,0
Luan – Batalhou no meio e foi OK na marcação. Nota: 5,5
Hudson – OK na marcação, pouco chegou no ataque. Nota: 5,5
Hernanes – Boa partida, assumindo o meio. Contundiu-se. Nota: 6,5
Carneiro – Voluntarioso mas a bola queima demais no pé. Nota: 4,0
Pablo – Tenta jogar mas não tem ninguém do lado. Nota: 5,0
Antony – Um dos poucos atletas que tenta boas jogadas. Nota: 6,5

Brenner – Mais uma participação tímida. Negou a bola. Nota: 4,0
Everton Felipe – Sem nota
Léo Pelé – Sem nota

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Torcida clama por Pato. Alto salário é o maior entrave para a repatriação

A notícia da rescisão de contrato de Alexandre Pato e sua despedida da China reascendeu a discussão sobre o retorno do jogador ao São Paulo.

 

O Portal Universo Tricolor iniciou uma campanha pela volta do jogador nas redes sociais. Em enquete no meu Twitter, uma avassaladora preferência pelo atacante mostra que o torcedor quer a sua volta. Nas redes sociais do jogador o apelo dos são-paulinos também é constante .

 

 

Pato seria um reforço espetacular, caso o São Paulo conseguisse resolver a parte financeira com o próprio jogador e seus agentes. O atacante foi artilheiro dos clubes que atuou nos últimos 6 anos, tem estilo versátil no ataque e chuta com as duas pernas. Além de toda a parte esportiva, o jogador é extremamente identificado com o clube. Recentemente escrevi um texto dizendo que o jogador se pagaria com a própria torcida, caso o marketing do clube estivesse operando bem. É um jogador que chama público e vende produtos licenciados, além do retorno em campo.

 

Entretanto, a tendência atual não é de retorno ao Tricolor. Apesar do desejo pessoal do presidente Leco, o Globoesporte.com revela que o principal entrave para a vinda continua sendo o alto salário do jogador. Além disso, Cuca, que comanda as tratativas de negociações no clube, entende que seria melhor o foco em outro perfil de atleta. Keno e Roger Guedes seriam os perfis pedidos pelo treinador.

 

É fato que Pato não terá dificuldades em se posicionar em um novo clube. Com ofertas da Turquia e da Itália, o jogador espera a melhor oportunidade para definir o seu futuro que, creio eu, será no Brasil.

 

Enquanto o torcedor fica na expectativa de reforços para ‘ontem’, principalmente depois do anúncio da venda de Militão ao Real Madrid, o clube vai ao mercado procurar soluções para a falta de gols e de criação da equipe que ainda não engrenou nesta temporada.

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

 

Arboleda revela ofertas da Europa e pode deixar Tricolor no meio do ano!

Arboleda, um dos melhores atletas do elenco, tem grandes chances de deixar o clube no meio do ano. Pelo menos foi o que o próprio jogador disse a um canal de esportes de seu país.

 

Ao periódico Ecuagol, o zagueiro revelou ter em mãos ofertas concretas da Europa. “Há cinco ou quatro equipes da Itália, Alemanha e Espanha interessadas, é isso que meus empresários estão gerenciando com o clube, espero sair da grande porta no meio do ano, sempre deixando tudo aqui. Se não acontecer, estou feliz no dia a dia com São Paulo “, disse ele ao Ecuagol.

 

 

A saída de Arboleda representaria uma perda esportiva enorme para o São Paulo em 2019. Praticamente um desconhecido quando chegou no clube, ele é de longe um dos jogadores mais regulares da equipe neste ano e foi um dos poucos que se salvou na eliminação diante do Talleres, pela Libertadores 2019. Um agravante a favor da saída: Arboleda possui passaporte europeu.

 

O Tricolor precisa se preparar para uma possível saída do equatoriano, ainda mais valorizado com a convocação para a seleção de seu país. Isso inclui procurar mais um reforço para a zaga no meio do ano, não aceitar qualquer oferta vinda da Europa e trabalhar a cabeça do atleta caso recuse algo que seja menos que a multa do seu contrato, com vigência até junho de 2022.

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Faltou transparência nos valores da vinda de Diego Souza ao São Paulo

A saída de Diego Souza ainda gera muitos questionamentos entre os torcedores e conselheiros do São Paulo.

 

Um relatório independente foi exposto na última reunião do Conselho Deliberativo do Tricolor, realizada na terça-feira passada. Entre outros assuntos, ele revelou o valor integral da compra do atleta do jogador, incluíndo as comissões dos agentes. No total, o São Paulo pagou pelo jogador a quantia de R$ 13.460 milhões e não R$ 10 milhões, como anunciado pelo Goboesporte.com na época da vinda do atacante. O alto valor não justificou o investimento, sobretudo porque o São Paulo praticamente se ‘desfez’ do atleta, já que Diego Souza não faria parte dos planos de Cuca.

 

Dentro de campo a passagem de Diego Souza não foi um total fracasso. Contratado na melhor fase da carreira, o ex-camisa nove fora artilheiro do Brasileirão de 2016, marcou 21 gols no ano seguinte e era cotado para a Copa do Mundo da Rússia. Enfim, o jogador estava valorizado na época e eu acreditei que, pela experiência e momento, Diego pudesse contribuir com gols e títulos. De fato ele contribuiu em 2018 pois foi artilheiro do time na temporada mas faltou poder de decisão, algo que não é o perfil do atleta.

 

A saída de Diego do clube sim, foi um verdadeiro fiasco. O jogador foi praticamente doado ao Botafogo, sem sequer amortização do prejuízo financeiro oriundo da sua vinda, apesar do Tricolor ainda ter a preferência pelo seu ao clube em 2019 ou chance de venda para a China ou Arábia sem resistência do alvinegro do Rio.

 

Para tratar um assunto tão complexo, procurei ter acesso a mecânica do negócio. A informação que tive é que o empresário Fábio Mello intermediou a vinda de Diego Souza junto a Eduardo Uram, empresário do jogador, e recebeu sua comissão dentro dos padrões do mercado, tudo protocolado na CBF. Na minha opinião, o erro da vinda de Diego Souza não foi na intermediação e sim na falta de transparência na divulgação dos números reais do negócio para o Conselho Fiscal, órgão com função de monitorar as ações financeiras do Tricolor.

 

A dificuldade dos fiscais do conselho em obter números em gestões de clube não é somente privilégio do São Paulo e deve ser combatida diariamente por quem pensa em melhorar o futebol brasileiro. Por essas e outras, defendo uma gestão do futebol independente do social, com presidente gestor passível de demissão e transparência nos números. Isso é, o futebol atuando essencialmente como empresa.

 

Ao ser duramente e justamente questionado pelos conselheiros na reunião passada, Leco sugeriu a criação de uma comissão de três conselheiros para analisar e acompanhar todas as negociações realizadas no futebol. Os representantes dessa comissão serão dois membros ligados a oposição e um ligado a situação.

 

A criação dessa comissão é mais uma tentativa de melhorar os processos do clube. Se não resolve o problema de falta de transparência, ao menos os conselheiros deverão ter mais e melhor acesso aos reais números de tudo que acontece na pasta futebol.

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.