E-Consulters Web - Hospedagem Premium

Search Results For : Opinião

Ceni contradiz Lugano e cita Gerrard para justificar expulsão

Na coletiva pós-jogo contra o Cuiabá, Rogério foi perguntado sobre os lances polêmicos que foram decisivos na vitória do São Paulo por 2 a 1.

 

Os dois mais comentados foram o pênalti sofrido por André Anderson e a expulsão de Jonathan Cafu, que inclusive já passou pelo Tricolor.

 

Antes da entrevista coletiva começar, Lugano já havia dado sua opinião no programa SportsCenter, da ESPN:

“Acho que o São Paulo, hoje, talvez tenha jogado o melhor jogo dentro de casa, no Brasileirão. Jogou muito bem, foi superior e mereceu vencer o jogo. Porém, o melhor jogador do São Paulo, minha honestidade intelectual obriga a dizer, foi o juiz da partida. O juiz não pode dar aquele pênalti e a expulsão foi totalmente exagerada. Condicionou o jogo.”

 

Rogério, sabendo da visão de seu amigo e ex-companheiro de time, respondeu:

“Eu achei que a expulsão foi correta. E se o Lugano disse que não foi pra expulsão, já não sei mais nada… pro Lugano pouca coisa era expulsão na verdade, né!? Gerrard que o diga.”

 

Rogério claramente lembrou do lance em que Lugano, na final do Mundial de 2005, dá um carrinho violento em Steven Gerrard e acaba levando só o cartão amarelo. Além dessa marcante falta, o eterno camisa 5 são-paulino não era flor que se cheirasse em campo.

 

Brincadeiras à parte, agora vai minha opinião sobre as jogadas:

 

Acredito que no pênalti a carga existe em cima do André Anderson, mas não é suficiente para derrubá-lo. Se fosse marcado contra o São Paulo, com certeza eu contestaria. Não achei falta. Concordo com o uruguaio.

 

O lance da expulsão, na minha visão, é acidental mas muito forte. Arboleda desarmou o atacante cuiabano e foi pisado na altura do tornozelo, com as travas da chuteira. Rogério tem razão quando fala que, se Arboleda estivesse com o pé fincado no gramado, talvez teria quebrado a perna. Expulsão totalmente compreensível. Concordo com Rogério.

 

Comente sua opinião sobre os lances nos comentários.

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.
Para ver as camisas Tricolores na loja clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Gigio Gdikian | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários

OPINIÃO São Paulo 2×1 Cuiabá

Vitória fundamental e nono jogo seguido com triunfo no Morumbi. Na marra e de virada, o São Paulo venceu o Cuiabá por 2 a 1 e entrou no G4 da rodada.

 

O jogo foi polêmico no Morumbi. Os lances de pênalti, segundo gol do São Paulo e expulsão de Jonathan Cafu renderão debates nos programas esportivos de segunda-feira.

 

Como estive no estádio, ainda não consegui ver os lances com calma e comentarei minha visão sobre a partida jogada pela equipe de Rogério Ceni.

 

Apesar se ter saído atrás do placar, o São Paulo jogou bem e mereceu sair com a vitória. O Cuiabá não obrigou Jandrei a fazer nenhuma defesa, e chegou ao gol em uma falha de Léo e Arboleda. Falha feia e confusa, aliás.

 

No primeiro tempo, o Tricolor já era dominante, e não chegou ao gol graças a duas grandes defesas de Walter. No entanto, todas as jogadas eram concentradas no lado esquerdo, na dobradinha Wellington-Patrick. Algo que precisava ser corrigido.

 

Na segunda etapa, o time melhorou com a entrada de Nikão e André Anderson. No primeiro gol, Nikão deu um lindo passe para André sofrer o penâlti. O segundo gol foi marcado pelo camisa 10. Ele desencantou depois de voltar de lesão e fez seu primeiro gol pelo clube. Curiosamente, no aniversário de Raí. A mística do Cícero Pompeu De Toledo prevaleceu.

 

Vitória fundamental em um campeonato que vencer dentro de casa é um detalhe importante. Já são 3 jogos e 3 vitórias no Morumbi no Brasilerão. A torcida vem fazendo a diferença.

 

Notas dos personagens do jogo:

Jandrei: Sem culpa no gol. No mais, não foi exigido durante a partida. Nota: 6,0

Rafinha: Foi bem defensivamente, mas muito tímido no apoio. Deu boa bola para Calleri no primeiro tempo. Nota: 6,0

Arboleda: Falhou no gol, mas se recuperou no segundo tempo. Seu desarme resultou no gol de Nikão, o gol da virada. Nota: 6,5

Léo: Ajudou na saída de bola, mas também falhou no gol junto com Arboleda. Nota: 5,5

Wellington: Foi bastante acionado na primeira etapa, fez boas jogadas, mas nenhuma gerou muito perigo. Foi substituído por Reinaldo, aparentemente, pelo desgaste. Nota: 6,0

Pablo Maia: Fazia um tempo que não jogava bem. Foi titular e reencontrou seu futebol. Gostei da dinâmica que deu na troca de passes no primeiro tempo. Nota: 6,5

Igor Gomes: Primeiro tempo bom, segundo tempo médio. É peça de confiança do Rogério. Nota: 6,0

Patrick: Muito acionado no primeiro tempo, fez a dobradinha com Wellington e participou dos ataques. Cansou no segundo tempo pelo grande esforço enquanto esteve em campo. Nota: 6,5

Alisson: Mais um jogo regular do camisa 12. Vem se firmando no time titular com sua regularidade. Nota: 6,5

Luciano: Gostei dele enquanto esteve em campo. Não o teria tirado. Nota: 6,5

Calleri: Fez o gol de pênalti e obrigou Walter a fazer grande defesa. É o artilheiro do Brasileirão com 6 gols. Nota: 7,0

 

Nikão, André Anderson, Éder, Reinaldo e Rigoni: Nikão decidiu o jogo com um belo passe no lance do pênalti e seu primeiro gol. André Anderson, Reinaldo e Rigoni entraram bem, dando velocidade aos ataques. Éder foi o que menos apareceu. Notícia boa o Rigoni jogar minimamente bem.

 

Rogério Ceni: Mexeu bem no segundo tempo e os jogadores que entraram foram fundamentais nos gols são-paulinos. Boa atuação na beira do campo do goleiro-artilheiro. Nota: 7,5

 

Imagem por Rubens Chiri

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.
Para ver as camisas Tricolores na loja clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Gigio Gdikian | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários

OPINIÃO São Paulo 2×0 Juventude

Atuação mediana e missão cumprida em Barueri. O São Paulo venceu o Juventude por 2 a 0 e está nas oitavas de final da Copa do Brasil.

 

O time entrou em campo com uma formação nunca antes utilizada por Rogério Ceni, o 3-5-2. Além de Jandrei no gol, Diego, Arboleda e Léo foram os zagueiros; Reinaldo e Igor Vinícius os alas; Gabriel Neves, Igor Gomes e Alisson os meias; e Calleri e Éder os atacantes.

 

Em uma partida de altos e baixos, a equipe começou o jogo com dificuldades na saída de bola. O início do primeiro tempo não foi dos melhores e o Juventude aproveitou os erros de passes são-paulinos para rondar a área de Jandrei.

 

Apesar do perigo cedido ao adversário, o São Paulo não sofreu grandes sustos e conseguiu desenvolver seu futebol após os vinte minutos iniciais. A partir daí, o jogo ficou controlado e o Tricolor imprimiu um bom volume contra a meta gaúcha.

 

O primeiro gol saiu de um escanteio cobrado por Igor Vinícius na medida para Arboleda estufar as redes. Abrir o placar deu tranquilidade ao São Paulo, que voltou a ser incomodado no fim da primeira etapa. Em um bom chute de Vitor Gabriel, Jandrei praticou uma grande defesa e salvou o que seria o gol do Juventude.

 

O segundo tempo do São Paulo também não empolgou e, em um contra-ataque iniciado por Luciano e Patrick, Igor Vinícius arrancou e bateu com confiança para ampliar o placar.

 

Ainda sem data definida, o sorteio das oitavas deve ser em junho.

 

Agora o bicho pega e a tendência é enfrentar times de mais qualidade. Mas não vamos esquecer que eliminamos um adversário traiçoeiro e nosso algoz em 2016.

 

Notas dos personagens do jogo:

Jandrei: Grande defesa no fim do primeiro tempo e necessárias intervenções em cruzamentos perigosos. Nota: 8,0

Igor Vinícius: Cruzamento certeiro e um bonito gol. Além disso, participou bem do jogo, principalmente na parte ofensiva. O melhor em campo. Nota: 9,0

Diego Costa: Foi bem, mas um pouco abaixo de suas atuações. Nota: 6,5

Arboleda: Vinha sendo destaque no primeiro tempo junto com Igor Vinícius. Virou zagueiro artilheiro. Nota: 8,5

Léo: Partida protocolar. Nota: 7,0

Reinaldo: Gostei das iniciativas nas jogadas, mas nenhuma resultou em uma grande chance. Nota: 6,0

Gabriel Neves: Tenta bastante, mas erra bastante. Tem qualidade no passe, mas precisa ser mais ágil. Nota: 5,0

Igor Gomes: Não gostei do seu jogo hoje. Não estava em um bom dia tecnicamente. Nota: 5,0

Alisson: Lutou, mas faltou inspiração. Nota: 5,0

Calleri: Não participou do jogo no primeiro tempo e tomou um amarelo injusto. Segundo tempo um pouco melhor, mas não conseguiu finalizar. Nota: 5,5

Éder: Gostei mais que o camisa 9. Mais incisivo e perigoso. A lesão no punho prejudicou seu jogo. Nota: 6,0

 

Luan, Patrick, Luciano, Marquinhos e Rigoni: Dos que entraram, destaque para Luan, Luciano e Rigoni. Eram fundamentais ano passado e nessa temporada não conseguem se firmar. Patrick entrou melhor que Marquinhos.

 

Rogério Ceni: Missão cumprida e o plano segue. Tentou implantar uma nova formação mas achei que não surtiu efeito. Sempre é bom ter variações táticas e achei legal a tentativa de algo diferente, mas com a linha de 4 o time cria mais. Nota: 6,5

 

Escrito por Gigio Gdikian

 

Imagem por Maurício Rummens

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.
Para ver as camisas Tricolores na loja clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Giovanni Gdikian | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

 

 

 

 

Ainda sem empolgar, Nikão voltou a treinar e terá nova chance em maio

O São Paulo voltou a trabalhar no CT da Barra Funda nesta terça-feira (10), após empatar em 1 a 1 contra o Fortaleza, no Castelão. A novidade nos gramados foi a volta de Nikão.

 

O atacante participou apenas da primeira parte do treino e ainda se recupera de um trauma no tornozelo esquerdo, sofrido na partida contra o RB Bragantino, no Brasileirão.

 

Ainda não há previsão para seu retorno aos jogos, porém, tenho a expectativa que no próximo domingo, contra o Cuiabá, no Morumbi, ele possa estar à disposição.

 

Com 18 jogos já feitos pelo São Paulo, Nikão soma 3 assistências e nenhum gol marcado. Desempenho em números e com bola rolando muito abaixo do esperado. Entendo a reclamação de alguns torcedores pela grande expectativa criada e pouca entrega em campo do recém-chegado. Porém, acredito que o jogador continua sendo um reforço de peso ao nosso elenco e tem condição de ser titular, assim que entrar em forma.

 

Segundo o UOL Esporte, Nikão possui um dos maiores salários do elenco, o que passa uma responsabilidade ainda maior. A notícia da volta de lesão me anima muito pois é um atleta em que eu coloco muita confiança. Tem qualidade com a bola no pé, bom chute de fora da área, visão de jogo e faz um bom papel tático, como já vimos e gostamos no Athletico-PR.

 

O São Paulo terá 5 dos 6 jogos em casa, no mês de maio. Oportunidade para Nikão fazer as pazes com as redes e com a torcida.

 

Vamos torcer.

 

Escrito por Gigio Gdikian

 

Imagem por Rubens Chiri/SPFC

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.
Para ver as camisas Tricolores na loja clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Giovanni Gdikian | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

 

 

 

No São Paulo, a Copa do Brasil precisa ser tratada como Libertadores

Nesta quinta-feira (12), o São Paulo encara o Juventude, às 19h30, na Arena Barueri, pela partida de volta da terceira fase da Copa do Brasil.

 

Para os esquecidos, o jogo de ida terminou em 2 a 2 e o São Paulo precisa vencer se quiser avançar na competição jamais conquistada. Um detalhe importante da Copa do Brasil é a inexistência do “gol fora de casa”, ou seja, se o jogo terminar empatado por qualquer placar, 0 a 0 ou 4 a 4, teremos decisão nos pênaltis. Quem ganhar no tempo normal, avança.

 

Desde quando nasci, em 2002, creio que nunca tratamos esse torneio como uma prioridade no clube. Sempre voltamos nossas atenções à tão querida Libertadores, quando falamos de campeonatos mata-mata.

 

A Copa do Brasil e o São Paulo não têm uma relação muito agradável, se é que times e competições possuem relacionamentos. Contudo, por ser uma taça inédita e que rende um dinheiro considerável aos cofres, gostaria que nós torcedores focássemos mais no título.

 

Já que não temos as inesquecíveis quartas-feiras de Libertadores nessa temporada, vamos transformá-las em quartas-feiras de Copa do Brasil, com o Morumbi pulsando e o clima dentro e fora do estádio como conhecemos em noites continentais.

 

Caso avance às oitavas de final, além do prestígio esportivo, o São Paulo arrecadará R$ 3 milhões.

 

Competição inédita e milionária que o Tricolor precisa colocar em sua história.

 

E pra você? A Copa do Brasil precisa ser tratada como Libertadores?

 

Obs.: O São Paulo já sabia há cerca de um mês que teria de usar a Arena Barueri na data deste jogo. Portanto, o diretor do estádio do Morumbi decidiu iniciar um tratamento especial para que o gramado da Arena Barueri ficasse igual ao do Cícero Pompeu de Toledo. Na quinta veremos se surtirá efeito.

 

Escrito por Gigio Gdikian

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.
Para ver as camisas Tricolores na loja clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Giovanni Gdikian | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.