Search Results For : Mercado

Michel Bastos não joga mais no clube. Decisão foi da comissão técnica.

Nação do Maior do Mundo;

 

Michel Bastos não  jogará pelo São Paulo Futebol Clube.

 

Apesar de integrar o elenco e continuar treinando, Ricardo Gomes não irá mais utilizá-lo no restante da temporada. Tratado como uma contratação de peso (Ataíde Gil Guerreiro chegou a chamá-lo de craque, antes do Tricolor anunciar sua vinda) a torcida jamais perdoou a atitude de mandá-la ‘calar a boca’ após a comemoração de um gol e a relação nunca mais foi normal. O comportamento extra-campo contribuiu para que Michel se tornasse ‘persona non grata’ para a maioria da torcida.

 

Segundo o Globoesporte.com a diretoria não irá afastar o jogador de suas obrigações no CT porque considera que a situação de Michel Bastos não afeta o elenco, isso é, não há problema entre ele e os jogadores. Além do mais, afastar o atleta significaria desvalorizá-lo no mercado.

 

O ideal seria vendê-lo para a Europa, Arábia ou China e monetizar com a negociação, já que Michel tem contrato até o fim de 2017. Caso contrário, uma troca seria boa também, desde que haja um outro jogador que interesse ao clube. Palmeiras, Cruzeiro e Santos demonstraram interesse pelo polivalente meia. O Cruzeiro teria William Bigode para oferecer. Que jogador teria Santos e Palmeiras?

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Por que Borja, atacante do Atletico Nacional, não veio para o São Paulo?

Nação do Maior do Mundo;

 

Miguel Borja, atacante do Atletico Nacional, vem encantando a América Latina com muito futebol e gols. O algoz do Tricolor na semifinal da Libertadores está deitando na Sulamericana, inclusive com os três gols que eliminaram o Coritiba da competição. Um deles, uma verdadeira pintura.

 

Ainda completamente desconhecido, o atleta foi oferecido ao São Paulo no início deste ano. Borja atuava pelo modesto Cortuluá, clube colombiano. Na época, o Tricolor contava Alan Kardec, Rogério (que hoje está emprestado ao Sport), havia acabado de contratar Kieza e estava em vias de acertar com Calleri por um valor muito bom. Calleri na época era uma oportunidade e o clube optou por contratá-lo ao invés de apostar no colombiano. As pífias assagens de Borja no exterior pesaram na decisão. O jogador passou pelo Livorno (ITA) e Olimpo (ARG), sem nenhum destaque. Seria mais um ‘Pabón’ no CT da Barra Funda. Já Calleri chegou do Boca Jrs com ótimo cartaz.

 

São coisas do futebol. Do início do ano até o meio do ano Borja se destacou no Cortuluá, com 17 gols em 21 jogos e despertou a atenção do então rival da Libertadores. Borja acertou com o Atletico Nacional por cerca de R$ 6,5 milhões e fez a festa no Morumbi e em Medellín, com quatro gols em cima do Tricolor. Bola dentro dos colombianos. Ouso dizer que, sem Borja, o Atletico Nacional não seria campeão da Libertadores.

 

O problema do São Paulo não foi perder a chance de ter Borja no início do ano. Foi perder Kieza (com a chegada de Calleri), emprestar Rogério (a pedido dele), e vender Kardek sem as reposições necessárias, ainda sabendo que Calleri não permaneceria no segundo semestre. O clube trouxe apenas Chavez, que pode jogar de centroavante mas não é sua posição original, e a ainda as incógnitas Gilberto e Ytalo, que pouco jogaram.

 

A consequência? O clube é um dos piores ataques do Campeonato Brasileiro de 2016.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Conheça a situação contratual de cada atleta do elenco do São Paulo

Nação do Maior do Mundo;

 

Para planejar futebol é preciso ter conhecimento pleno das datas de encerramento de cada atleta do elenco. Conheça a situação contratual do grupo de jogadores que estão atualmente treinando no São Paulo, separados pelo ano de encerramento de cada um:

 

Contratos que vencem em 2016: Kelvin (31/12/2016), Léo (31/12/2016), Mena (31/12/2016) e Ytalo (31/12/2016).

 

Contratos que vencem em 2017: Allan (23/02/2017), Jean Carlos (31/05/2017), Robson (31/05/2017), João Schmidt (30/06/2017), Chavez (30/06/2017), Lugano (30/06/2017), Adelino (09/09/2017), Denis (31/12/2017), Breno (31/12/2017), Bruno (31/12/2017), Carlinhos (31/12/2017), Daniel (31/12/2017), Gilberto (31/12/2017), Hudson (31/12/2017), Michel Bastos (31/12/2017) e Pedro  (31/12/2017).

 

Contratos que vencem em 2018: Renan Ribeiro (28/05/2018), Douglas (17/07/2018), Buffarini (28/07/2018), Iago Maidana (11/09/2018), Rodrigo Caio (14/10/2018), Wellington (31/10/2018), Wesley (31/12/2018), David Neres (31/12/2018) e Lyanco (31/12/20180.

 

Contratos que vencem em 2019: Matheus Reis (31/01/2019), Luís Araújo (01/06/2019), Auro  (22/09/2019) e Thiago Mendes (31/12/2019).

 

Contratos que vencem em 2020: Cueva (24/06/2018), Maicon (30/06/2020), e Artur (31/07/2020).

 

Opinião: temos ainda os jogadores emprestados, que não estão na lista. Entre eles, Rogério (Sport), Caramelo (Chapecoense) e outros. Dos contratos que vencem em 2016 eu só renovaria com o terceiro goleiro Léo, se o valor for bom, pois tem o jovem Lucas Perri na fila. Breno, Jean Carlos, Chavez e Robson terão que mostrar muita bola para renovarem contrato no ano que vem.  A prioridade é João Schmidt e Pedro. Denis poderá assinar pré-contrato no meio do ano e o restante dos atletas com contratos vencendo em 2017 eu dispensaria. Os demais anos estão ‘seguros’, com Rodrigo Caio como moeda mais forte para uma iminente venda e Lyanco, David Neres e Luís Araújo despontando no elenco profissional. Maicon, com o tempo mais longo de contrato, tem que ser talhado para liderar os próximos times nos próximos anos.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Montillo: um meia que poderia agregar muito ao São Paulo de 2017

Nação do Maior do Mundo;

 

O meia Walter Montillo não jogará mais pelo Shandong Luneng, clube chinês que defende desde 2014. Ídolo entre a torcida chinesa e destaque do último campeonato com 13 gols, o ex-Cruzeiro e Santos ainda não definiu seu próximo destino.

 

A primeira opção seria voltar ao seu clube de origem, a Universidad de Chile. Aliás, é um sonho não só dele mas de seus ex-companheiros Olivera e Victorino reeditarem o time vencedor de 2009 e 2010. Mas, de acordo com o atleta, isso depende muito da diretoria e comissão técnica do clube chileno. Enquanto há impasse, há desejo de outras equipes pelo futebol do camisa dez.

 

Para mim, Montillo casaria bem com o Tricolor de 2017. Bom jogador e dotado de um ótimo passe e chegada ao gol, o meia poderia liderar a garotada recém promovida de Cotia. É saudável imaginar um meio com Montillo e Lucas Fernandes. Além de saudável é uma exigência que o são-paulino deve fazer a diretoria: a de um time que mescle juventude com experiência mas, acima de tudo, bons jogadores.

 

Leco terá R$ 11,5 ou mais de verba no futebol para investir na equipe. Para você, leitor, Montillo seria uma boa solução para “fechar” o meio-campo Tricolor no ano que vem?

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

SPFC não pode perder João Schmidt!

Nação do Maior do Mundo;

 

O volante João Schmidt deu entrevista coletiva nesta quarta-feira no CT da Barra Funda. Entre outros assuntos corriqueiros, me impressionou a clareza com que o jovem vê o uso de jogadores jovens no futebol brasileiro, em especial o São Paulo:

 

“Os garotos da base aparecem nos piores momentos do clube. É normal, a competitividade é enorme. Tem muitos jogadores de nome. Com momento bom e time redondinho é mais difícil dar chance. Geralmente são nos piores momentos em que aparecem os jogadores da base. Dificilmente aparecem no momento bom. Quase sempre no ruim.” – disse ele aos microfones da imprensa.

 

Realmente é essa a realidade, muito bem exposta pelo jogador, que tem seu contrato por se encerrar em junho de 2017, isso é, podendo fazer um pré-contrato com outro clube no início do ano que vem. João lembra muito Hernanes e poderá ter a mesma trajetória do meia da Juve, que demorou para se firmar no São Paulo (sendo emprestado para alguns clubes menores) antes de explodir na Lazio.

 

O assisti pela primeira vez em Barueri, quando ainda era chamado de João Felipe, em uma fatídica eliminação da base pelos donos da casa. Foi o que mais me chamou a atenção. Por ter a história e estilo semelhantes aos do “Profeta”, penso que o São Paulo não pode perder de jeito nenhum João Schmidt. É evidente que ainda não está lapidado, mas é um jogador que tem muito a evoluir e se valorizar. Inteligente dentro de campo (e pelo visto fora também), ele tem tudo para render bem no ano que vem.

 

A renovação de João Schmidt com o SPFC é tratada entre ambas as partes com sigilo.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.