E-Consulters Web - Hospedagem Premium

Search Results For : Opinião

Rogério: o são-paulino não tem que te desculpar. Tem que te venerar. Obrigado!

“Desculpem me se falhei, mas o que me moveu nesse projeto, foram os riscos para conquistar a glória. Obrigado torcedor são-paulino, pelo carinho, respeito e apoio. Jamais esquecerei.” – Foi assim que Rogério Ceni se manifestou ao comentar sua saída do cargo de técnico do clube em seu Facebook Oficial.

 

O ídolo da terceira maior torcida do Brasil mostrou coragem nas palavras e se disse preparado para o cargo, comentando trechos de sua história marcados por dúvidas e opções: a vinda para São Paulo, o período no banco de reservas e o treino de faltas no clube. Todas essas etapas movidas por muito trabalho e perseverança.

 

E foi exatamente esse o legado que Ceni deixou ao torcedor são-paulino. Um indivíduo obstinado, trabalhador e vencedor. Seu sucesso como jogador foi um tapa na cara dos ‘haters’ rivais ou os próprios torcedores odiosos do seu clube. O técnico saiu mas o Mito permanece intocável na cabeça de quem é São Paulo.

 

Se não foi agora, não quer dizer que não será nunca mais. A própria história de Rogério Ceni indica isso. Rogério não começou famoso nem estourou para o futebol como Neymar ou Gabriel Jesus, só para citar exemplos recentes. Ficou famoso não pela sua beleza ou caráter, mas sim pelo trabalho, talento e perseverança.

 

Rogério. O são-paulino não tem que te desculpar. Tem que te venerar.

 

Sempre.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Dorival é favorito a vaga, mas não é o único. Veja as opções no mercado!

A saída de Rogério Ceni do comando técnico do São Paulo na tarde desta segunda-feira promoveu uma grande corrida no jornalismo esportivo. Todos estão atrás do nome ‘ideal’ para ocupar o banco de reservas Tricolor.

 

Dorival Junior aparece como barbada, ainda mais depois que um contato entre ele e a diretoria de futebol foi confirmado pelo jornalista Jorge Nicola horas depois do comunicado oficial emitido pelo clube. Mas não é o único nome em vista. O São Paulo procura um técnico brasileiro e experiente. Marcelo Oliveira, Mano Menezes e até Dunga foram ventilados nos corredores do Morumbi.

 

Marcelo Oliveira, apesar de campeão com o Cruzeiro e Palmeiras, sofre certa rejeição. Mano Menezes agrada mas está empregado, apesar de ter seu cargo muito ameaçado no Cruzeiro. Dunga sempre foi objeto de desejo de Juvenal Juvêncio. Se deduzirmos que a atual diretoria atuou muito tempo próxima ao falecido presidente, não é surpresa ele ainda ser lembrado.

 

Acredito num desfecho rápido e creio que a barbarda mesmo é Dorival, que ainda tem vocação de lançar atletas de base. Contra o Santos, o São Paulo será treinado por Pintado, portanto não veremos ainda uma cara nova no banco Tricolor. Porém, a chance de ter um técnico anunciado até lá é enorme.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Demissão de Ceni é tragédia anunciada!

Rogério Ceni está fora do comando técnico do São Paulo FC.

 

Leia a nota oficial do clube: o São Paulo FC comunica que Rogério Ceni deixa o comando técnico de sua equipe principal. Em sua passagem como treinador, Ceni demonstrou a dedicação e o empenho que o caracterizaram como atleta. Desejamos boa sorte a este que sempre será um dos maiores ídolos de nossa história.  “O respeito e o reconhecimento pela grandeza de Rogerio Ceni, como figura histórica desta instituição, serão eternamente celebrados”, disse o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva.

 

Bem ou mal, a tragédia era anunciada: o treinador não conseguiu dar o padrão necessário ao elenco que tinha em mãos desde o início do ano. É certo que muita responsabilidade dessa demissão deve ser creditada a situação do clube e o posicionamento da diretoria em modificar tanto o elenco. Certo ou errado, esse posicionamento prejudicaria qualquer técnico, ainda mais no meio do equilibrado e concorrido Brasileirão.

 

O técnico sai. O MITO fica para sempre. Aguardamos os novos desenvolvimentos.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

OPINIÃO Flamengo 2×0 São Paulo

Placar justo no Rio de Janeiro. Com dois gols no fim do primeiro tempo e uma boa administração de jogo na segunda etapa, o Flamengo fez valer o mando de jogo e conquistou mais uma vitória no Brasileirão. Do outro lado, com mais uma partida sem vencer, o Tricolor continua o seu calvário no ano.

 

O primeiro tempo foi marcado com maior posse de bola do Flamengo e uma forte proposta de marcação do São Paulo. Apesar de ter chutado apenas uma bola a gol, o Tricolor conseguia segurar o adversário, tentando jogar no erro do adversário. Quando a torcida carioca ameaçava se impacientar, surgiu o gol que desmantelou o esquema de Ceni. Guerrero abriu o placar batendo uma falta perfeita. Logo depois veio o segundo tento, em bela jogada do ataque rubro-negro.

 

Rogério até tentou mudar o cenário no intervalo e na segunda etapa co o que tinha no banco. Colocou Denílson, Wellington Nem e até o esquecido Shaylon e tentou diminuir o prejuízo mas o São Paulo não conseguiu chegar perto dos gols que precisava, mesmo com um pouco mais de presença ofensiva. Do outro lado, o Flamengo administrou tranquilamente a partida e quase chegou ao terceiro tento. Rodrigo Caio e Renan salvaram o que poderia ser uma goleada na Ilha do Governador.

 

Com o resultado, o São Paulo entrou na zona de rebaixamento. Convenhamos; o resultado era totalmente previsível. A equipe do Flamengo é melhor individualmente e coletivamente que o Tricolor. Além disso, a gestão rubro-negra reforçou seu elenco no meio do ano, ao contrário do São Paulo, que perdeu peças e apenas repôs os jogadores no meio do campeonato. Lembrando que o que o São Paulo está passando, o Flamengo já passou, inclusive com uma derrota por 6×1 nesse mesmo estádio pelo Tricolor. Leco e os diretores precisarão mostrar trabalho para evitar um vexame histórico e, ao mesmo tempo, sanar as dívidas.

 

Enquanto isso, na tabela do campeonato, o calvário tende a aumentar: o time irá a Vila Belmiro enfrentar mais um clássico, desta vez contra o Santos. Tudo isso com apenas 33% de aproveitamento no torneio. É mole?

 

É fato: os dias de sofrência continuarão. Não sabemos até quando.

 

Nota dos personagens da partida:

Renan Ribeiro Ótima atuação dentro de um limitado desempenho. Nota: 8,0

Araruna Tentou fazer o melhor dele no setor direito. Nota: 5,5

Lugano Bobeada coletiva no segundo gol. No mais, sem grandes erros. Nota: 5,5

Rodrigo Caio Bom jogo, apesar do erro coletivo no gol. Salvou um gol Nota: 6,5

Junior Esforçado em campo. Vítima do erro no segundo gol flamenguista. Nota: 5,5

Jucilei Partida um pouco abaixo do usual. Nota: 5,0

Petros Apesar do desentrosamento, fez uma boa estréia. Nota: 5,5

Wesley Participação muito abaixo do restante. Não acrescenta ao time. Nota: 4,0

Cueva Mais uma apresentação abaixo do que pode. Irreconhecível. Nota: 3,5

Marcinho Lutou como é de costume, mas chegou pouco ao ataque. Nota 4,5

Lucas Pratto Isolado no comando de ataque, fez o que pôde. Nota: 5,0

Denílson Entrou, se movimentou mas não mudou o cenário. Nota: 5,0

Shaylon Idem a Denílson. Ainda verde para mudar uma partida. Nota: 5,0

Welington Nem Correu, de dedicou, mas pouco acrescentou. Nota: 5,0

Rogério Ceni A estratégia era segurar o adversário em acensão para tentar uma bola em um contra-ataque. Time sucumbiu após o primeiro gol do Flamengo e não teve organização coletiva e individual para tentar algo na segunda etapa. Além da parte técnica e física, a luta contra o rebaixamento também passa pelo psicológico do grupo. Vamos ver se os novos contratados ajudam a sair desse buraco. Nota: 5,0

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Leco explicou como será usada receita das vendas. Cabe ao clube fiscalizar!

Finalmente o São Paulo veio a público para explicar o destino das vendas dos jogadores e demais receitas em 2017. O presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, em entrevista ao Globoesporte.com contou que pelo menos 50% do valor das receitas obtidas será usado para amenizar as dívidas do clube e os outros 50% será usado em investimentos no futebol.

 

De acordo com o Globoesporte.com, R$ 180,8 milhões (entre vendas e bônus de desempenho) entraram no caixa neste ano, à partir das vendas de David Neres, Luiz Araújo, Lyanco, Augusto Galván, Maicon e Thiago Mendes. Média de R$ 30 milhões recebidos por atleta e um lucro três vezes superior ao estimado no início do ano. Os números podem aumentar ainda mais com as negociações de Lucão (especulado na Alemanha) e Centurión (especulado na Argentina e México).

 

O Tricolor já investiu cerca de R$ 47 milhões com novos jogadores e deve contratar mais um ou dois nomes para este ano. Isso quer dizer que, com dinheiro no caixa e a estratégia e uso finalmente declarada por Leco ao Globoesporte.com a Coletividade Tricolor terá como COBRAR resultados dentro e fora do campo de modo concreto: diminuição substancial da dívida no próximo balanço e preparação de um elenco mais forte e muito mais duradouro em 2018.

 

O que foi explicado era justamente o que o blog pedia em seu último post: transparência na gestão. Agora cabe ao clube fiscalizar de perto esse desempenho, principalmente o Conselho de Administração, formado pelo próprio Leco, além de outros nomes como Raí, Júlio Casares e José Eduardo Mesquita Pimenta e o Conselho Deliberativo.

 

Agora há o que e como cobrar.

 

Me comprometo neste espaço a não esquecer o que foi escrito nesse post. O blog São Paulo Sempre também acompanhará os desdobramentos da gestão atual, avaliando positivamente ou negativamente. Pelo bem de uma das nossas maiores paixões.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.