Search Results For : Tricolor

Saiba quem são os atuais atletas da seleção que torcem para o São Paulo:

O Brasil jogará contra o Chile nesta próxima terça-feira com um elenco recheado de antigos torcedores do São Paulo. Segundo o jornalista Jorge Nicola, a seleção brasileira treinada por Tite possui cinco são-paulinos de infância na sua convocação.

 

Entre os cinco, três são ‘barbadas’ e dois são surpresas para mim. Entre as ‘barbadas’ estão o goleiro Ederson, o lateral Daniel Alves e o zagueiro Rodrigo Caio, jogadores do conhecimento da maioria dos torcedores do São Paulo. As surpresas ficam por conta do volante Paulinho, atualmente do Barcelona, e o meia Arthur, revelado no Goiás e titular do Grêmio.

 

Segundo Nicola, antes de iniciar a trajetória profissional Paulinho era fanático Tricolor a ponto de ter fotos com o manto sagrado em seu Facebook. Arthur, uma das revelações do Campeonato Brasileiro, também torcia para o Tricolor Paulista em sua infância mas faz sucesso em outro tricolor, o do Sul.

 

Nicola revelou que Casemiro, formado em Cotia, torcia na infância para o Corinthians.

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Ederson, como tantos outros, é mais uma história do futebol brasileiro

Ederson Santana de Moraes, futuro titular da seleção brasileira no último jogo das eliminatórias para a Copa do Mundo, relembrou um período difícil de sua carreira no CT da Barra Funda, local onde a seleção treina para a partida diante do Chile.

 

O atual goleiro do Manchester City comentou com emoção a sua dispensa do São Paulo, em 2009. Na época com quinze anos, Ederson recebeu a notícia por telefone e chorou muito em sua casa. Pensou em desistir do futebol mas persistiu na escolinha até a oportunidade em Portugal, que mudou definitivamente sua vida. No Benfica, ele foi pivô de uma das transferências mais caras da história do futebol, e foi para a equipe treinada atualmente por Guardiola.

 

É mais uma história do futebol brasileiro, como tantas outras situações envolvendo atletas que não tiveram espaço nos clubes formadores e fizeram (ou fazem) história em outros países. Há mais oferta que procura no mercado, os empresários brasileiros muitas vezes ditam negociações e os clubes grandes geralmente não tem tempo para apostar em todas as promessas que surgem em suas categorias de base.

 

A história de Ederson é comum na maioria dos clubes daqui. Vale lembrar que, no mesmo período que ele atuava na base do São Paulo, um tal Rogério Ceni conquistara uma Libertadores, um Mundial e um tricampeonato brasileiro consecutivo sem receber sequer uma oportunidade decente de continuidade na seleção brasileira.

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Processos e pedido de dinheiro afetam homenagem de ídolos no Morumbi

Recentemente o São Paulo venceu um processo movido por um de seus ex-atletas mais vencedores nos últimos anos. O derrotado é Natanael do Santos Macedo, ou simplesmente Macedo, atleta campeão da Libertadores e do Mundial de 1992 com a camisa do clube.

 

O ex-atacante, presença constante em encontros e eventos relacionados ao São Paulo, reivindicou um suposto uso indevido de imagens, registradas entre 1991 e 1992, época que estava no Morumbi. Foi derrotado em segunda instância.

 

Macedo não é um dos nomes especulados para entrar no projeto que define nomes de ídolos para os setores do Cícero Pompeu de Toledo, mas certamente não teria seu nome estampado num setor do estádio por conta da ação movida contra o clube. Atualmente o Tricolor estuda nomes de seus ídolos para compor setores do estádio do Morumbi e só definirá os escolhidos após cessão completa do uso dos direitos por parte dos convidados. É um trabalho meticuloso, que envolve conversa e elaboração de contratos junto a todos os ex-atletas ou seus herdeiros.

 

O blog tomou conhecimento que alguns ídolos que fizeram ‘chover’ em campo não serão nomeados no estádio justamente por negarem a cessão de direitos. Alguns entendem que o projeto seria de uso comercial do clube e pediram dinheiro para ceder seus nomes ao Morumbi.

 

Esta diferença de visão fará com que possivelmente alguns grandes ídolos do passado não estejam no projeto que homenageia aqueles que dentro de campo ajudaram o São Paulo conquistar a glória e o status que possui no cenário mundial do futebol. Caso concordo com o clube. Se o São Paulo ceder a um ex-atleta, terá que ceder a todos os homenageados e o caso é muito mais um justo reconhecimento de serviços prestados que uma atividade comercial envolvendo os ídolos.

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Cobrança, apoio e olho no olho!

Como alguns sabem, fui convidado para participar da reunião entre torcedores e jogadores, comissão técnica e diretores nesta quarta-feira no CT da Barra Funda. O convite partiu da Torcida Independente e Dragões da Real, que pleitearam junto ao clube o encontro. Fui no papel de torcedor e a intenção por parte dos convidados foi expor o sentimento do torcedor e sentir o clima de comprometimento dos que representam os mais de 15 milhões de são-paulinos pelo mundo.

 

O encontro durou cerca de uma hora e ocorreu exatamente como o texto publicado pelo Márcio Porto, do Lance! Ocorreram cobranças e palavras de apoio. Seguimos a risca a pauta pedida pela Independente/Dragões e aceita pelo clube: fomos bastante respeitosos porém incisivos nos questionamentos e posições. Ninguém estava lá para nada além de expor os sentimentos do torcedor são-paulino. Recomendo a leitura do texto do Lance!

 

Algumas considerações importantes: em mais de 12 anos de experiência como colaborador do Site Proibido, colunista da SPNet, blogueiro do Globoesporte.com e agora no São Paulo Sempre, nunca vi a mobilização como a realizada para este encontro. O presidente, todos os atletas, comissão técnica, fisiologistas, estatísticos, funcionários que cuidam do elenco e diretores estiveram presentes no gramado central do CT, palco da conversa. Pensei que seriam apenas os representantes dos jogadores e uma ou outra pessoa da diretoria. Foi um evento com todos os profissionais da Barra Funda, incluindo Wellington Nem e Morato, ainda em recuperação de graves lesões no Reffis e que não atuam mais neste ano.

 

Outro ponto que me chamou a atenção foi a presença e as palavras de Raí, também presente no encontro. Sereno como poucos e líder nato, ele acredita no fim dessa tempestade toda. Quem esteve no CT percebeu  que Raí não chegou para ser “para-raio, escudo ou amuleto” de gestores: ele realmente faz parte e está participando dos bastidores do clube. Ótima impressão. O São Paulo fez muito bem em contar novamente com uma pessoa diferenciada como ele. Que fique por muito tempo no São Paulo, independente de política ou de pessoas.

 

No mais, foi o que está escrito no Lance! Todos mostraram comprometimento e foco. Ninguém que largou seus empregos e esteve no CT para expor e sentir o comprometimento dos jogadores estava lá de brincadeira, como alguns torcedores sem informação estão irresponsavelmente propagando em canais como o Twitter. Não teve nada de “pacto de silêncio”: só foi combinado de não falarmos aos jornalistas na entrada do CT.

 

Todos os presentes saíram do encontro com a sensação de que foi positivo, cada um para seu lado, com respeito mas com a mensagem dada. Se fará efeito ou não no Campeonato Brasileiro, não dá para saber, mas uma coisa posso dizer: foi um evento inédito na história do clube, que luta desesperadamente para fugir do rebaixamento.

 

Agradeço ao pessoal da Independente e Dragões pelo convite.

Segue nota da Torcida Independente sobre o evento no CT.

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.

Tricolor sangra em campo para reduzir dívidas de pelo menos 10 anos!

O Globoesporte.com publicou uma matéria detalhada e bastante abrangente sobre a atual situação financeira do São Paulo. Ela conta, além de outros assuntos, que o clube amortizou as suas dívidas pela metade desde que Leco assumiu a presidência, ainda precisa de ao menos R$ 27 milhões para quitar terceiros neste ano (um aperto grande até o fim da temporada) e, segundo seu diretor financeiro, o clube será capaz de zerar por completo a dívida até o final de 2018.

 

Vale ler a matéria criada pelo jornalista Marcelo Prado que conta, além desses tópicos principais, a folha salarial do elenco atual (cerca de dez milhões por mês) e quais são os credores e respectivos valores que o clube deve pagar neste ano. Outro ponto importante é que, com o plano de antecipação de pagamentos para a constante redução da dívida, o São Paulo não precisou mais recorrer a empréstimos bancários e antecipações de cotas de TV, algo comum nas administrações passadas e que considero um dos enormes buracos de pelo menos dez anos de má gestões.

 

Está claro que o sacrifício financeiro resultou no grande sangramento do time em campo. Para cumprir os passos e tirar o clube da lama, os atuais gestores decidiram vender mais atletas que o habitual, comprometendo radicalmente o planejamento do futebol e colocando o clube em posição extremamente arriscada na tabela. Se a falta de uma participação de Libertadores tira do clube uma receita considerável de participação e bilheteria, a já considerada hipótese da participação na série B em 2018 traria ainda menos receitas para o Tricolor.

 

São decisões difíceis na administração de algo muito mais complexo que uma marca ou um produto de prateleira. O plano Sócio Torcedor, que tinha como previsão a receita de R$ 14,5 milhões neste ano, com a má campanha em campo precisou ser reajustado para R$ 11,6 milhões, de acordo com a matéria publicada. Ano que vem essa receita poderá cair muito mais, além de, por exemplo, vendas de camarotes e royalties de produtos, entre outros.

 

Mesmo com as claras informações da matéria do Globoesporte.com aos olhos do torcedor, ainda considero muito difícil criticar ou defender as medidas atuais tomadas por Leco e seus diretores. Entendo que não havia como segurar atletas valiosos com o tamanho do buraco que o clube estava e ainda está. Porém, há um fato a se considerar: o presidente, seus diretores e praticamente todos os conselheiros (com exceções) estavam presentes nos anos e anos de má gestão e degradação financeira que o Tricolor está, incluindo épocas gloriosas como o Tricampeonato Mundial e o Tricampeonato Brasileiro. Todos foram, no mínimo, coniventes com os descasos que resultam nesta atual situação de aperto.

 

Portanto, não há o que se vangloriar. Recuperar o clube deve ser uma obrigação de todos que estão por lá e frequentam o camarote presidencial, as cadeiras dos conselhos deliberativo, consultivo e fiscal. O torcedor, que comparece ao Morumbi, assiste pela TV e chora por esse distintivo de cinco pontas é a única parte isenta de toda a incompetência apresentada nestes últimos anos ou até mesmo décadas.

 

Para acessar outras notícias do Blog São Paulo Sempre clique aqui.

 

Saudações Tricolores!
Daniel Perrone | São Paulo Sempre!

Me siga no Twitter
Me siga no Facebook
Me siga no Instagram

Post aberto para comentários.